Veja é o que aconteceria no mundo se o mar subisse 65 metros

Publicado em Cotidiano
Sábado, 05 Setembro 2015 14:33

Se todo o gelo do planeta derreter completamente, o nível do mar vai subir em 65 metros; submergindo algumas grandes cidades e continentes inteiros serão remodelados drasticamente.

Então, como a Terra ficaria se isso acontecesse? Será que a sua cidade sobreviveria?

“Troca de Mercadoria” causa dor de cabeça aos consumidores

Publicado em Cotidiano
Domingo, 06 Setembro 2015 14:29

 

Uma das coisas que ainda gera muita dor de cabeça para quem compra produtos é a troca de mercadorias. Essa situação é uma das maiores causas de demandas junta à Secretaria Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-JP). As queixas vão desde maá prestação de serviços, produtos com defeito, cobranças indevidas, propagandas enganosas e produtos que colocam em risco a saúde.

De acordo com o secretário do Procon-JP, Helton Renê, o prazo de troca de produtos é um direito garantido a todos os consumidores pelo Código de Defesa do Consumidor (CDC). Embora algumas lojas e empresas não respeitem as normas apontadas na lei, é importante que o consumidor saiba que os fornecedores e fabricantes têm 30 dias, a partir da reclamação, para sanar o problema do produto.

Depois desse período, deve-se exigir um produto similar, a restituição imediata da quantia paga ou o abatimento proporcional do preço. Vale lembrar que essas exigências podem ser feitas antes dos 30 dias após a compra, caso a substituição das partes com defeito comprometam as características do produto, diminuir-lhe o valor, ou quando se tratar de um “produto essencial” (como a geladeira, por exemplo).

Vício oculto e aparente - É preciso diferenciar ainda os dois tipos de defeitos, o aparente e o oculto, além dos dois tipos de produto, os duráveis e os não duráveis. O chamado aparente é o produto em que o defeito pode ser constatado facilmente, como a superfície riscada do freezer. O oculto é o defeito que surge repentinamente, com a utilização do produto, como um problema no motor. Quanto aos produtos, os duráveis são aqueles que deveriam ter vida útil razoavelmente longa, tais como os aparelhos eletrônicos, enquanto os não duráveis são aqueles consumidos em prazos curtos, como os alimentos.

De acordo com o artigo 26 do CDC, quando o defeito é aparente, o prazo para reclamação é de 30 dias para produtos não duráveis e 90 dias para os duráveis, contados a partir da data da compra. Se o problema for oculto, os prazos são os mesmos, mas começam a valer no momento em que o defeito é detectado pelo consumidor. Além disso, de acordo com o artigo 18 do CDC, no caso de o produto ter defeito, o consumidor pode reclamar tanto ao fabricante quanto à loja onde comprou a mercadoria.

Direito de arrependimento - No caso de compras virtuais, como o consumidor não pode avaliar o produto em mãos, o CDC garante o direito de arrependimento pela compra. Com ele, o consumidor tem sete dias, a contar da data de entrega, para avaliar se o produto recebido atende às expectativas prometidas pelo site de compras ou pelo catálogo.

Equipe do Acauã faz 320 operações em 11 meses

Publicado em Cotidiano
Domingo, 13 Setembro 2015 18:15

 

A história das forças policiais da Paraíba divide-se entre o antes e o depois da atuação do Grupo Tático Aéreo (GTA), com a utilização do helicóptero Acauã. Nos últimos 11 meses, centenas de ações policiais e de socorro a vítimas tiveram êxito com a participação do policiamento aéreo. O helicóptero Acauã, da Secretaria de Estado da Segurança e Defesa Social, acumula até agora 326,3 horas de vôos e registra 320 operações. Em média, a aeronave voa duas horas por dia. Com base nos registros, são cerca de 60 horas de voo a cada mês.

No período de setembro de 2014 a agosto de 2015, foram realizadas 326 operações, incluindo apoios a ocorrências com acionamento pelo Centro Integrado de Operações Policiais (Ciop), em colaboração com as guarnições da Policia Militar e ou Corpo de Bombeiros e Sistema Prisional. Houve ainda patrulhamentos nas áreas da 1ª e 2ª Regiões Integradas de Segurança Pública (Reisp), intervenções e quatro operações da Secretaria de Segurança e Defesa Social (Seds).

De acordo com o comandante do GTA, coronel PM João Erivaldo Pontes, as operações da Seds são ações planejadas através das Polícias Civil, Militar e Corpo de Bombeiros. As intervenções são ações diretas, onde a tripulação do GTA atua diretamente nas ocorrências, como resgates de vítimas, transportes de vítimas de acidentes, prisões de acusados e escoltas de presos em comboio.

O patrulhamento aéreo solicitado pelos gestores das Reisp são ações de Policiamento Ostensivo Aéreo em áreas de risco de ocorrências de vulto, como evitar homicídios, patrulhamento nas vias principais e corredores onde existem agencias bancárias, áreas de presídios, áreas de risco e proteção ambiental e patrulhamento das áreas de risco no litoral.

GTA – O Grupo Tático Aéreo, equipe composta por 27 policiais militares e civis, sendo seis oficiais pilotos da Polícia Militar, além de motoristas e mecânicos, tem contribuído muito para o êxito das ações das forças policiais do Estado. Toda operação do Acauã é autorizada apenas pelo comando do Centro Integrado de Operações Policiais (Ciop), que sempre tem nos plantões um oficial da PM, um oficial do Corpo de Bombeiros, além de coordenador do Samu, Semob e Guarda Municipal.

De acordo com o comandante do GTA, coronel PM Pontes, com 30 anos de Polícia Militar e 25 anos de aviação, os seis oficiais começaram a formação em 2003, no Estado de Minas Gerais. Em seguida, esses militares passaram a voar em grupamentos aéreos do Brasil, nos estados que têm escolas de aviação. Com a aquisição do helicóptero Acauã em 2014, pelo Governo da Paraíba, a equipe então passou a atuar no nosso Estado.

As atividades diárias do Grupo Tático Aéreo começam com o nascer do sol e terminam ao entardecer. Numa segunda etapa, com a formação de mais profissionais e aquisição de mais um helicóptero, as equipes do GTA também farão operações noturnas. “O nosso serviço é de apoio às equipes de solo e para voar à noite será utilizado o farol de busca, que iluminará os pontos onde estarão as guarnições em terra”, explica o coronel Pontes.

Helicóptero – O Acauã pode transportar até seis pessoas, incluindo um paciente em maca e um médico e um paramédico. Pode içar cargas, transportar água para apagar incêndio, além de outros equipamentos de salvamento em lugar de difícil acesso. As armas utilizadas são para curta e longa distância. Em cada escala de trabalho, atuam dois oficiais pilotos e três tripulantes. A autonomia de vôo é de 3,5 horas e a velocidade máxima pode chegar a 300 km/h. A aeronave pode voar até Fortaleza, por exemplo, sem precisar pousar para abastecer. Um vôo até Patos, distante 300 km da Capital, é feito em uma hora.

O número de ocorrências no dia-a-dia é variável e as operações acontecem a partir do acionamento do Centro Integrado de Operações Policiais (Ciop). A comunicação com as equipes por terra é essencial para o êxito das operações do GTA. O coronel Pontes relata que uma das operações mais marcantes nesses 11 primeiros meses de atuação foi o resgate de banhistas na praia de Coqueirinho, no carnaval do ano passado. Quatro rapazes estavam em uma área de pedras e não perceberam que o nível das águas do mar subiu. Ficaram ilhados e foram resgatados pela equipe do Acauã, que foi aplaudida pelas pessoas que assistiam as manobras na praia.

De acordo com o coronel Pontes, a receptividade da população tem sido muito boa. Muita gente tem parabenizado o trabalho eficiente do Grupo Tático Aéreo. Nos finais de semana, o helicóptero Acauã faz o patrulhamento das áreas de risco em praias, em apoio às equipes que atuam na terra e no mar. Até agora, a tripulação do Acauã ainda não fez disparos de armas durante operações, no entanto, a equipe periodicamente realiza disparos em treinamento aéreo para estarem habilitados em caso de ocorrência real.

O capitão Rodrigo Maia Pimenta, 37 anos, iniciou sua formação em 2003, em Minas Gerais, e desde 2010 exerce a função de comandante de aeronave com atuação em vários Estados, incluindo o Distrito Federal, onde atuou na Força Nacional de Segurança. Natural de João Pessoa, capitão Pimenta ingressou na PM da Paraíba em 1999 e à época não fazia ideia que se tornaria piloto de helicóptero. Acumula hoje cerca de 1.500 horas de vôo.

“Hoje é uma das maiores satisfações como profissional ver implantado esse serviço de segurança pública e de defesa civil na parte aérea. No ar nós conseguimos ver 15 vezes à frente em relação ao que o homem no solo consegue ver. Hoje nós temos muito orgulho em realizar esse serviço na Paraíba e eu sinto que a tropa hoje já incorporou a aeronave como mais uma modalidade de nossa segurança pública”, declarou o oficial. “Graças a Deus, o governador Ricardo Coutinho entendeu a necessidade da aeronave e tanto é que ele já se mostrou favorável à aquisição de um segundo helicóptero”, pontuou o capitão Pimenta.

Governo incentiva apicultura e oferece alternativa de renda

Publicado em Cotidiano
Terça, 22 Setembro 2015 14:58

 

O Governo do Estado, por meio do Projeto Cooperar, em parceria com o Banco Mundial, implantou nos últimos quatro anos 25 projetos de coleta e extração de mel com um investimento de R$ 2,7 milhões, beneficiando 626 famílias diretamente, segundo informou o especialista em apicultura do órgão, José Estrela de Oliveira, na palestra Ações Estratégicas no Fortalecimento da Apicultura e Meliponicultura, na manhã desta segunda-feira (21), na Expofeira Paraíba Agronegócios 2015, que acontece até o próximo domingo no Parque de Exposições em João Pessoa.

Durante a palestra, José Estrela falou da importância da atividade como fonte de renda e inclusão social no meio rural, que impulsionou a organização de cooperativas e associações, gerou emprego e renda, melhorou o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), formalizou novas parcerias no setor produtivo e ainda fortaleceu a cadeia produtiva da apicultura e meliponicultura.

jose-estrela-tecnico-de-apicultura-do-cooperar-1O especialista também lembrou que o Governo do Estado, em parceria com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), investiu ainda R$ 1,1 milhão na instalação de três entrepostos de mel em Aparecida, Poço José de Moura e Salgado de São Félix para beneficiar e envasar a produção.

Projeto exitoso - Produzir mel foi um grande negócio para o produtor Marcos Antônio Martins, do município de Triunfo, no Alto Sertão da Paraíba. Em dez anos da atividade, conseguiu incrementar a produção em 14.900%, migrando de 40 kg de mel por ano em 2005 para 6 toneladas no ano passado, e a lucratividade só veio dois anos após a implantação da atividade em 2005.

Ele lembrou que o preço de mercado do quilo de mel, quando iniciou a atividade, chegava a atingir R$ 3,00 e hoje custa em média, R$ 7,60. Apesar da estiagem, segundo Marcos, a atividade desponta como outra alternativa de lucro a partir da produção de cera, que chega a custar R$ 35,00 o quilo. No ano passado, atingiu a produção de 2 toneladas do produto, e mesmo no período de falta de chuvas, esse ano, já conseguiu produzir 1 tonelada de cera e 3 toneladas de mel.

cooperar baia_da_traicao_apicultura_fotos_kleide_teixeira_036

“Com a infraestrutura proporcionada pelo Cooperar e capacitação pelo Sebrae e Senar, conseguimos melhorar muito a produção para ter preços competitivos, tanto no mercado local, como nacional. Hoje, estou muito satisfeito com a atividade. Se você se preparar, mesmo com o mínimo de chuvas, você consegue produzir”, destacou Marcos Martins.

O apicultor, que também é presidente da Federação Paraibana dos Apicultores e Meliponicultores (Fepan), revelou que no ano passado a Paraíba conseguiu produzir 500 toneladas de mel.

Primavera começa nesta quarta com aumento gradual da temperatura

Publicado em Cotidiano
Quarta, 23 Setembro 2015 18:15

 

A primavera começa nesta quarta-feira (23), às 5h20, em todo o Hemisfério Sul do planeta. Na Paraíba, a previsão da Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado (Aesa) é de que os termômetros variem entre 18ºC e 36ºC durante a estação das flores. Até a chegada do verão, que este ano terá início no dia 22 de dezembro, deve haver um aumento gradual do calor.

A temperatura mais elevada desta estação, 36ºC, deve ser registrada no Alto Sertão. A mínima prevista para esta região é de 22ºC. Já a mais baixa, 18ºC, é esperada no Cariri, onde a máxima será 33ºC. No Sertão os termômetros devem variar entre 35ºC e 23ºC. Agreste, 29ºC e 21ºC. Brejo, 28ºC e 20ºC e no Litoral, 30ºC e 24ºC.

“Com a chegada da primavera a temperatura começa, gradativamente, a elevar-se, até chegar o verão, no mês de dezembro. Além disto, temos o início do período de estiagem na Paraíba, quando ocorrem os menores índices pluviométricos do Estado. Esta época de pouca chuva se estende até início de dezembro, o que é normal. Faz parte do ciclo anual de chuvas”, informou a meteorologista Carmem Becker.

Segundo a meteorologista da Aesa, Marle Bandeira, a Paraíba não sofre variações acentuadas de temperatura durante este período porque está localizada próximo da Linha do Equador. Por outro lado, a primavera traz dias mais ensolarados.

“Por conta do movimento de translação da Terra, o sol incide em ângulos diferentes nas várias partes do planeta. No Brasil, uma das características deste fenômeno nesta época do ano é o aumento do dia solar. Temos mais sol durante o dia e uma noite um pouco mais curta”, explicou.

Em algumas regiões do País, a primavera também anuncia a proximidade do horário de verão, que vai acontecer entre os dias em 18 de outubro de 2015 e 21 de fevereiro de 2016. O objetivo é aproveitar a maior luminosidade e economizar energia elétrica. Mas, assim como no ano passado, os paraibanos não devem precisar adiantar os relógios em uma hora, apenas moradores do Sul, Sudeste e Centro-Oeste do País, além de Distrito Federal.

Trauma de João Pessoa inicia mutirão de cirurgias plásticas

Publicado em Cotidiano
Quinta, 24 Setembro 2015 14:24

O Hospital Estadual de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa, iniciou nesta quarta-feira (23) o primeiro Mutirão de Cirurgias Plásticas para pacientes com sequelas graves em decorrência de queimaduras profundas, que vai até a quinta-feira (24). O evento contou com a parceria da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) e Fundação IDEAH.

Segundo o idealizador do evento e coordenador da Unidade de Tratamento de Queimados (UTQ), o cirurgião plástico Saulo Montenegro, a ideia surgiu da necessidade de acompanhar os pacientes com queimaduras graves que não tinham o acompanhamento adequado após a alta hospitalar. “Nenhum hospital do Estado oferece um serviço desta natureza. Daí a necessidade de fazer este primeiro mutirão com o objetivo de amparar estes pacientes para que ele volte a ter qualidade de vida. Queremos minimizar as dores físicas e moral”, completou.

Foram inscritas para o mutirão mais de 50 pessoas, mas apenas 23 selecionadas para realizar a cirurgia. Está é a realidade da vendedora ambulante do município de Araçagi (localizado na região do Brejo da Paraíba), Gracilete Gomes Alves, que sofreu um acidente há um ano quando um tacho 5 litros de óleo quente virou por cima dela. “Minha esperança é viver novamente. Essa lesão me deixou com movimentos dos braços limitados, não consigo pegar minha filha de dois anos nos braços por muito tempo. Foi uma situação muito difícil que só escapei primeiramente por Deus e segundo pela equipe médica do Hospital de Trauma de João Pessoa que é excelente. A força que me fez chegar até aqui e me fez ter esperança novamente é o desejo de segurar minha filha novamente sem tempo limitado”, frisou.

Para o presidente da SBCP, João de Moraes Prado Neto, essa parceria com a unidade de saúde é a oportunidade de melhorar a vida de muitas pessoas vítimas de queimaduras. “A parceria vai dar oportunidade a estas pessoas de voltarem à normalidade. Mais que um anseio é um direito que todos nós temos de sermos pessoas normais”, disse.

De acordo com o diretor técnico do Hospital de Trauma, Edvan Benevides, o complexo hospitalar já é referência no tratamento de pessoas vítimas de queimaduras no Norte e Nordeste. “O Governo do Estado, por meio do Hospital de Trauma, pode beneficiar a população, já que tem condições técnicas de recurso humano e infraestrutura. É muito gratificante como diretor e ser humano ver o sorriso e a satisfação do paciente em ter sua esperança renovada com este mutirão”, comentou.

Emepa realiza leilão de 48 animais das raças neste sábado

Publicado em Cotidiano
Sexta, 25 Setembro 2015 13:58

 

A Empresa Estadual de Pesquisa Agropécuária da Paraíba (Emepa), integrante da Gestão Unificada, vinculada à Secretaria do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca (Sedap), realiza neste sábado (26), às 11h, no Parque de Exposição Henrique Vieira de Melo, em João Pessoa, leilão de 48 animais das raças Gir, Guzerá e Sindi durante a exposição de animais que acontecerá no local. O evento faz parte da 48ª Feira Agropecuária da Paraíba, que será encerrada neste domingo (27).

Emepa-leilao-Gado-GirAo todo, foram selecionados 48 animais para o leilão, entre machos e fêmeas, sendo 17 da raça Guzerá, 14 da raça Gir e 17 da raça Sindi, podendo ser pagos em cinco parcelas iguais. O lote do gado Gir é composto por oito fêmeas e seis machos adultos destinados a recria. São oito machos e nove fêmeas da raça Sindi. Da raça Guzerá, são oito machos e nove fêmeas.

Segundo o diretor técnico da Emepa, Manuel Duré, o leilão tem o objetivo de incentivar o produtor a adquirir touros puros, com Registro Genealógico Definitivo (RGD), possuidores de exame Andrológico Positivo e atestados sanitários e assim poderá substituir os reprodutores sem origem conhecida (denominados pé-duro).

Adquiridos estes animais, o rebanho do criador se eleva em qualidade e uniformidade das crias nascidas, tanto para corte como para leite, assegurando uma reposição anual do plantel, com fêmeas mais produtivas e machos de melhores qualidades para comercialização.

“Família fantasma” de Rio Tinto responde por improbidade

Publicado em Cotidiano
Sexta, 25 Setembro 2015 14:12

O Ministério Público da Paraíba (MPPB), por meio da Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público de Rio Tinto, ingressou com ação civil pública (ACP) por ato de improbidade administrativa contra ex-vereadora e seus dois filhos, que estariam recebendo salários da Prefeitura de Rio Tinto sem trabalhar. A ação também atinge a secretária municipal da Educação, Antônia Bernardo Leandro, por omitir-se e favorecer essa situação. O município de Rio Tinto, com 24 mil habitantes, está localizado no litoral norte paraibano, distante a 52 quilômetros da capital, João Pessoa.

“Ciente de que servidores públicos, membros de uma mesma família, vinham percebendo seus salários sem a contrapartida do trabalho funcional, o Ministério Público instaurou inquérito civil e, restando o fato comprovado, ingressou com a ação”, diz a ação civil pública por ato de improbidade administrativa impetrada contra a ex-vereadora Maria de Fátima Araújo da Cunha e seus dois filhos, o advogado Walter Batista da Cunha Júnior e Waltércia Araújo da Cunha.

Para o promotor de Justiça de Defesa do Patrimônio Público de Rio Tinto, José Raldeck Oliveira, “esses servidores públicos trilharam o caminho da desonestidade e da má-fé, incorrendo na prática de ato de improbidade, quando receberam remuneração referente aos seus cargos sem a contrapartida do trabalho funcional e, assim, de um lado obtiveram vantagem patrimonial indevida e, de outro, violaram princípios constitucionais”.

Se a Justiça julgar a ação procedente, os “funcionários fantasmas” de Rio Tinto terão que irão ressarcir inteiramente o dano causado ao erário. “Eles também terão os direitos políticos suspensos por dez anos e não poderão firmar contrato com o poder público”, acrescenta o promotor.

Medidas de segurança para o Centro Histórico de João Pessoa

Publicado em Cotidiano
Sexta, 02 Outubro 2015 12:40

 

O comandante-geral da Polícia Militar, coronel Euller Chaves, recebeu vários representantes da cultura de João Pessoa, nesta quinta-feira (1º), e anunciou um plano de contingenciamento que vai reforçar a segurança nos eventos do Centro Histórico e também da Praça Rio Branco. O encontro aconteceu na sede do comando-geral da PM e contou com as presenças do secretário de Cultura, Lau Siqueira, e da superintendente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado da Paraíba (Iphaep), Cassandra Figueiredo.

Entre as medidas que serão tomadas, está o reforço do policiamento a pé e motorizado nos dois locais, principalmente nos horários de maior concentração de pessoas. O comandante da PM propôs também formas de aproximação com os integrantes dos movimentos culturais da capital, buscando identificar problemas específicos para poder agir de forma mais eficaz.

A medida deverá ser implementada quando for colocado em prática o projeto de instalação de uma base de atuação da Polícia Militar com a Guarda Municipal da capital no próprio Centro Histórico. A proposta para isso já foi feita anteriormente ao poder executivo de João Pessoa. Em relação à Praça Rio Branco, já há um levantamento por parte da corporação dos horários de maior necessidade da ação policial.

“A polícia não é a solução, mas sim apenas uma parte deste processo, então com ações urgentes e ligadas à sociedade pretendemos atender as principais reivindicações neste momento e tentar reunir os outros órgãos públicos também responsáveis por atender as demandas da comunidade cultural de João Pessoa”, destacou o coronel Euller Chaves.
A reivindicação dos representantes da cultura é por medidas que coloquem o centro histórico como setor estratégico de prevenção, já que com as atrações oferecidas e comércio que existe no espaço, recebe pessoas de vários estados e países.

52 praias do litoral paraibano estão próprias para banho

Publicado em Cotidiano
Sexta, 02 Outubro 2015 13:03

 

A Superintendência de Administração do Meio Ambiente (Sudema) classificou 52 praias do litoral paraibano como apropriadas para o banho. A qualidade da água varia entre excelente, muito boa e satisfatória. Segundo o relatório semanal de balneabilidade, apenas trechos das praias do Jacaré, em Cabedelo; Manaíra e Bessa I, em João Pessoa; e de Maceió, em Pitimbu, devem ser evitadas pelos banhistas.

No município de Cabedelo, deve ser evitada a área localizada na margem direita do estuário do Rio Paraíba. Já no município de João Pessoa, os banhistas devem evitar as áreas localizadas a 100 metros à direita e à esquerda do Bahamas (final da Ruy Carneiro) de Manaíra e a que fica a 100 metros à direita e à esquerda do Maceió do Bessa. Na área localizada no município de Pitimbú, deve ser evitado o trecho que fica 100 metros à direita e à esquerda da desembocadura do Riacho Engenho Velho.

A equipe da Coordenadoria de Medições Ambientais da Sudema divulga, semanalmente, a situação de balneabilidade das 56 praias, por meio de coleta de material para análise nos municípios costeiros do Estado. Em João Pessoa, Lucena e Pitimbu, que são praias localizadas em centros urbanos com grande fluxo de banhistas, o monitoramento é semanal. Nos demais municípios do litoral paraibano, a análise é realizada mensalmente.

Compartilhe nas Redes Sociais!

Temos 438 visitantes e Nenhum membro online

Telefones Úteis

Energisa - (83) 2106-7000
Ultragás - (83) 3292-2217
Audicon - (83) 3246-0599
Cagepa - 115
GVT - 10325
NET - 10621
SKY - 10611
Tely - (83) 3049-4229
Polícia - 190
Bombeiros - 193
SAMU - 192
(83) 3216-2500
Dele.da Mulher
(83) 3218-5316

Entre em Contato

 

Av. Senador Ruy Carneiro, 636 sl 201

Manaíra, João Pessoa, Paraíba, Brasil

Tel: (83) 3021-8885 - Cel: (83) 98725-1693

Email: redacao@24horaspb.com

Website: http://www.24horaspb.com

JoomShaper