Programa Capitar Campina qualificará cerca de mil pessoas para o mercado de trabalho

Publicado em utilidade pública
Sexta, 03 Julho 2015 11:16

 

A Prefeitura de Campina Grande estará lançando, dia 09 próximo, às 15h, no Complexo Aluízio Campos, o programa Capitar Campina, que objetiva nesta primeira etapa qualificar cerca de mil pessoas para o mercado de trabalho e para iniciativas de próprio negócio.

Custeado com recursos da própria Prefeitura, o Capacitar envolve apoio de várias secretárias e órgãos municipais e foi projetado na perspectiva de atender a atual demanda da economia local, carente de trabalhadores qualificados para atuar em diversos setores.

O projeto técnico pressupõe a viabilização da qualificação e empregabilidade da população do Município, sobretudo a que se encontra em situação de vulnerabilidade social, oferecendo-lhes condições de melhorar seu potencial de empregabilidade e a qualidade de vida.

Atualmente, conforme informou a coordenadora do projeto, Marcela Borges Lucas de Araújo, cerca de 800 pessoas já foram cadastradas, através de clubes de mães de seus respectivos bairros
Para participar do programa, os interessados devem enquadrar-se nos critérios estabelecidos, e passarão receberão mensalmente, uma bolsa de R$ 80,00 (oitenta reais), enquanto permanecerem vinculados ao Programa, uma duração média de três meses por curso.

Para integrarem-se ao programa devem os interessados, enquadrarem-se nos seguintes critérios: está desempregado; ser comprovadamente alfabetizado; não ser beneficiário de outros programas municipais similares e que tenha renda per capita convivente de até R$ 200,00 (duzentos reais).
Os cursos serão ofertados em diversos espaços da cidade, de forma a atender demandas de comunidades. Terão como locais de funcionamento, à princípio, os Clubes de Mães, Sociedades de Amigos de Bairro – SAB e Associações que tiverem estrutura e equipamentos adequados, além do Centro Profissionalizante Antônio Carvalho Sousa – CEPACS, da Vila do Artesão, do Horto Florestal Municipal, da Fundação CDL CG e do Centro de Referência de Assistência Social - CRAS do Distrito Galante, onde ocorrerá o cadastro e o acompanhamento de alunos e alunas nos cursos, bem como a divulgação e a viabilização destes.

O acompanhamento do processo de qualificação profissional será realizado continuamente, através de visitas técnicas, do apoio pedagógico, com todos os encaminhamentos que se fizerem necessários para a integralização dos egressos dos cursos no mercado de trabalho, bem como aqueles que pretendam atuar como microempreendedores.

Com m´dia de 160horas, os cursos aplicados irão qualificar nas áreas Artesanato e Tecnologia, cuidadores de idosos ,de crianças e adolescentes; jardineiro, padeiro, maquiagem, manicure, pedicure, vendedor externo e externo, auxiliar de escritório, dentre outro oferecidos pelo programa.

Cvaz realiza mutirão de cirurgias para castração de cães e gatos

Publicado em utilidade pública
Sexta, 03 Julho 2015 15:24

 

O Centro de Vigilância Ambiental e Zoonoses (Cvaz) está realizando um mutirão de cirurgias para castração de cães e gatos até esta quarta-feira (01). A ação é uma parceria com professores e estudantes do curso de medicina veterinária da Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

De acordo com o gerente da Cvaz, Nilton Guedes, o objetivo da ação é promover o controle populacional dos animais por meio da esterilização. A expectativa é receber aproximadamente 50 animais, entre caninos e felinos, durante os três dias do mutirão, que teve início na segunda-feira (29).

Nilton explica que nem todos os animais poderão se submeter à cirurgia por não estarem em condições clínicas. “Primeiro eles passam por exames preparatórios como hemograma e triagem clínica para sabermos se são aptos ao procedimento”, afirmou.

Para se submeter à cirurgia, o animal não deve estar em fase de amamentação e precisa estar na faixa etária acima dos oito meses e até sete anos de vida. O procedimento não é considerado perigoso e os animais recebem alta no mesmo dia.
A estudante Silvana Batista levou sua gata para a castração para evitar que ela continue se reproduzindo. “Não temos como criar os filhotes e precisamos doá-los para outras pessoas. Então acho que a castração é uma opção”, disse.

Parceria – As cirurgias estão sendo realizadas em conjunto com estudantes do curso de medicina veterinária da UFPB, orientados pelo professor Luiz Eduardo Buquer. “Com ações como esta, os alunos podem trabalhar em contato direto com os animais, aprimorando a prática além da ambiente acadêmico”, disse.

Para Nilton Guedes, a parceria com a universidade é uma forma de manter os profissionais da Cvaz atualizados. “Esse trabalho implica em mais valorização e credibilidade ao serviço, a partir de um convênio firmado entre a Secretaria de Saúde e a UFPB”, comentou.

Serviço – O Centro de Vigilância em Saúde Ambiental e Zoonoses está localizado na Avenida Walfredo Macedo Brandão, n°100, nos Bancários. Para mais informações sobre o atendimento para a castração de animais, os interessados podem ligar para os telefones 3218-9357 ou 3214-3459.

SMS explica números de casos zika e orienta sobre cuidados e prevenção da dengue

Publicado em utilidade pública
Sexta, 03 Julho 2015 23:27

 

O Ministério da Saúde confirmou recentemente 11 casos de zika em João Pessoa. A confirmação destes casos só foi possível graças ao intenso trabalho de monitoramento que é realizado periodicamente pelos técnicos da Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Eles acompanharam a saúde de 6.963 pessoenses que apresentaram manchas vermelhas na pele (exantema) e que não foram identificados como dengue.

“Essas pessoas não se enquadravam totalmente nos casos de dengue, uma vez que estas manchas podem aparecer em diversas doenças virais. Para o Ministério da Saúde, a dengue só pode ser caracterizada quando ocorre febre e mais dois sintomas associados, que poderia até ser o exantema, mas não foi o que aconteceu nesses casos, uma vez que, em nenhum dos episódios houve quadro febril”, explicou a técnica Ana Larissa Libório.

Por isso, a Vigilância Epidemiológica decidiu monitorar estes casos. “Quando a Vigilância identifica alguma agrave inusitado, como esses casos, realizamos um trabalho especial de monitoramento. Esse é o padrão de trabalho da Vigilância e foi o que fizemos com esses casos de exantema. Vale destacar que o MS observou o aumento desses casos em todos os estados do Nordeste”, destacou Daniel Araújo Batista, gerente da Vigilância Epidemiológica da SMS.

Com o estudo foi possível identificar 15 amostras, consideradas aptas pelo Ministério da Saúde, para que fosse realizado o exame que identifica a presença do Zika Vírus. “As amostras foram enviadas para o Instituto Evandro Chagas, no Pará e após exames, foram identificados 11 casos positivos para zika. Esta iniciativa faz parte de uma pesquisa de circulação viral realizada pelo MS, cujo objetivo não é quantificar os casos e sim identificar a presença do vírus no município”, ressaltou Ana Larissa.

7b15f563-91af-4ce5-8495-e39034998fa2Dengue – Entre os dias 01 de Janeiro e 02 de Julho, foram notificados 3.594 casos suspeitos de dengue, sendo que 2.360 foram confirmados.

“Todos estão muito preocupados com a zika, mas a dengue é um agravo que pode se complicar e levar ao óbito, já nos casos de zika, os pacientes tiveram uma boa evolução. A partir de agora a tendência é reduzir o número de casos, pois o pico de notificação é no primeiro semestre, por conta das condições climáticas. As pessoas devem ficar mais vigilantes para impedir que o mosquito se prolifere e possa transmitir as doenças”, enfatizou Flávia Castelo Branco, que também é técnica da Vigilância Epidemiológica da SMS.

Sistema – O Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) é alimentado, principalmente, pela notificação e investigação de casos de doenças e agravos que constam da lista nacional de doenças de notificação compulsória do Ministério da Saúde.

Vigilância Epidemiológica – A Vigilância Epidemiológica de João Pessoa é responsável por acompanhar o comportamento doenças, agravos e de mudanças nas práticas de saúde, bem como detectar ou prever quaisquer mudanças que possam ocorrer nos fatores condicionantes do processo saúde-doença.

Vigilância Ambiental – O Centro de Vigilância Ambiental tem trabalhado diariamente no controle do mosquito Aedes Aegypti e outras pragas, realizando, visitas domiciliares, ações de conscientização da população através de palestras e reuniões em escolas, condomínios, empresas, prédios, entre outros locais. Por ano, a equipe chega a realizar mais de 600 mil visitas a domicílio.

“Nesta segunda-feira (6) vamos iniciar o Levantamento de Índice Rápido de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa), um estudo que avalia o risco de reprodução do mosquito da dengue. Isso vai dar condições para direcionar ações de acordo com a localização dos criadouros e assim orientar a população para que possam colaborar com o trabalho dos Agentes de Vigilância Ambiental”, informou Nilton Guedes, gerente do Centro de Vigilância Ambiental e Zoonoses da SMS.

Nilton destacou ainda a importância da população no trabalho de combate à dengue. “É importante que as pessoas olhem em volta, evite depósitos de água, dê continuidade ao trabalho realizado pelos agentes e denunciando os possíveis focos de dengue”.

Mosquito – O Aedes aegypti pode viver 35 dias, mas seus ovos podem sobreviver até 450 dias. O mosquito prefere locais úmidos e basta alguns milímetros de água para eles eclodirem e, em uma semana, transformarem-se em mosquitos adultos.

“Uma fêmea do mosquito precisa acasalar apenas uma vez para se tornar fértil. Em média, ela põe ovos a cada três dias. Alguns autores relatam que se viver 35 dias, ela pode produzir 1500 ovos. E para preservar a espécie, a fêmea procura distribuir os ovos em diversos locais”, explicou Nilton Guedes.

Disque Dengue – Para mais informações sobre a doença ou denúncia de possíveis criadouros, a população pode entrar em contato com o serviço Disque Dengue ligando 3214-5718.

Prefeito visita obra de residencial que terá mais habitantes que 113 municípios paraibanos

Publicado em utilidade pública
Terça, 07 Julho 2015 13:25

 

Moradia digna, infraestrutura e serviços públicos disponíveis perto de casa. Essa será a realidade das 2.016 famílias que serão beneficiadas com a construção do Residencial Vista Alegre, no bairro de Gramame. A obra ocupa uma área de 20 mil metros quadrados (m²) e corresponde ao maior investimento já realizado em habitação pelo Poder Público na Capital. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), uma família tem em média quatro integrantes, no total 8.064 pessoas terão uma casa nova no Vista Alegre, número que supera a quantidade de habitantes de 113 municípios paraibanos.

De acordo com o prefeito Luciano Cartaxo, que visitou a obra na manhã desta terça-feira (7), o Vista Alegre representa um marco na política habitacional no município de João Pessoa. “Nós entendemos a importância da moradia para que as pessoas vivam com mais segurança, tranquilidade e dignidade, e por isso temos feito da habitação uma área prioritária de nossa gestão”, destacou o prefeito.

Desde janeiro de 2013, a Prefeitura Municipal de João Pessoa já entregou cerca de três mil moradias populares, com investimento total de mais de R$ 160 milhões, que beneficiaram mais de 11.600 pessoas. Agora, no Vista Alegre, estão sendo investidos R$ 130 milhões, sendo R$ 123,3 milhões do Governo Federal, com contrapartida de R$ 6,7 milhões da PMJP.

Além dos 2.016 apartamentos, o residencial terá uma escola com capacidade para 900 alunos, Centro de Referência em Educação Infantil (Crei), Unidade de Saúde da Família (USF), duas praças, áreas verdes, urbanização completa e equipamentos esportivos, como quadras, campo de futebol e ginásios. O espaço ainda contará com ponto de apoio comunitário, para a realização de festas e reuniões.

Os 2.016 apartamentos (189 adaptados para pessoas com necessidades especiais) estarão divididos em 63 blocos, representando uma média de 32 unidades por prédio. Cada um dos imóveis terá uma área de 40 m², com sala, cozinha, banheiro social, área de serviço e dois quartos, sendo uma suíte.

De acordo com a secretária municipal da Habitação, Socorro Gadelha, as obras já alcançaram 24% do total, incluindo saneamento e drenagem. A média é de oiti apartamentos construídos por dia. “Trata-se do maior residencial já construído na Capital e a obra está dentro do cronograma previsto. Nesse ritmo, a previsão é que a entrega dos apartamentos para a população aconteça até o final de 2016”, declarou.

Novos empregos – Se muita gente vai ser beneficiada com a entrega dos apartamentos, outras centenas de pessoas estão sendo beneficiadas diretamente com a sua construção. Ao todo, foram gerados 400 empregos diretos para tornar o condomínio uma realidade, o que aquece o mercado de trabalho e leva mais qualidade de vida para as famílias.

Prefeitura realiza ação para prevenção e controle do caracol africano

Publicado em utilidade pública
Quinta, 09 Julho 2015 17:28

 

A Secretaria Municipal de Saúde, por meio do Centro de Vigilância Ambiental e Zoonoses (Cvaz), em parceria com a Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur), realiza na manhã desta sexta-feira (10) ações direcionadas ao controle do caracol africano. As atividades terão inicio a partir das 8h e acontecerão na orla do Cabo Branco, com concentração em frente à Fundação Casa José Américo, e no final da Avenida Beira Rio.

As ações são preventivas e visam conscientizar a população sobre os perigos do achatina fulica, conhecido como caracol africano, e as formas corretas de fazer a retirada do molusco. Na ocasião, os agentes de vigilância ambiental estarão orientando a população e fazendo o controle do caracol por meio de catação, único procedimento permitido para a área que é de preservação ambiental, e os funcionários da Emlur estarão realizando a técnica de supressão, que consiste no corte de uma faixa da vegetação para facilitar na catação do molusco. A poda foi autorizada pela Secretaria de Meio Ambiente (Semam).

“A área é protegida por lei, já que ali existe uma vegetação, então não podemos usar nenhum pesticida ou qualquer outro tipo de forma para eliminar o caracol; além disso, ele não possui um predador natural, então nossa única forma de combatê-lo é através do processo de catação”, explica o gerente da Cvaz, Nilton Guedes, gerente de Vigilância Ambiental e Zoonoses.

De acordo Guedes, é necessária a conscientização da população sobre o caramujo africano, pois neste período de chuva e umidade é facilita a reprodução dessa espécie invasora e exótica. “Além das ações do poder público, o controle de caramujo necessita da participação da população, então nós trabalhamos com a orientação de como as pessoas devem proceder”, disse.

“Estamos divulgando o máximo de informações existentes, transmitindo todo o conhecimento que temos sobre o caracol africano para os cidadãos, assim eles poderão evitar a reprodução da espécie, que não aparece apenas em lugares próximos de vegetação, podendo também chegar às residências, basta que o ambiente seja favorável”, completou o gerente.

Caracol Africano – Achatina fulica é um molusco vindo da África. Ele também é chamado de acatina, caracol-africano, caracol-gigante, caracol-gigante-africano, caramujo-gigante, caramujo-gigante-africano ou rainha da África. Chegou ao Brasil de forma ilegal na década de 1980, no Paraná, com o intuito de substituir o escargot, uma vez que sua massa é maior que a destes animais.

Levado para outras regiões do país, a espécie não foi bem aceita pelos consumidores e proibida pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais (Ibama), fazendo com que muitos donos de criadouros, displicentemente, liberassem seus representantes na natureza, sem tomar as devidas providências.

O caracol africano se reproduz de forma rápida e em larga escala e não possui um predador natural. “O nosso atual clima, onde uma hora chove e na outra está com sol, contribui para a proliferação do bicho, além disso, ambientes úmidos, com matéria orgânica e vegetação como os quintais e jardins das casas também favorecem o aparecimento do caracol”, explicou Nilton Guedes.

Consequência à população – O Achatina fulica é hospedeiro de várias espécies de vermes capazes de provocar doenças sérias como a meningite.
A meningite causada por A. cantonensis, tipo de verme, começa com a ingestão do caramujo ou de muco do molusco infectado. Uma vez ingeridas, as larvas do verme migram para o sistema nervoso central e se alojam nas meninges – membranas que envolvem o cérebro. O organismo inicia uma reação inflamatória, que resulta no quadro de meningite.

Geralmente, a doença é autolimitada, pois os parasitas não conseguem se reproduzir no ser humano e morrem naturalmente. No entanto, alguns pacientes desenvolvem formas graves e o índice de mortes é de 3%. O atraso no diagnóstico é um dos fatores que contribuem para o agravamento do quadro: cada dia de dor de cabeça prolongada aumenta em 26% as chances de coma. Até agora não foi notificado nenhum caso de doenças causadas pelo molusco em João Pessoa.

Eliminação e controle da espécie – A forma mais indicada para combater a espécie e que qualquer pessoa pode fazer é através da catação, que deve ser feita sempre com a mão isolada por luvas ou sacos plásticos. Em seguida o caracol deve ser afogado em um balde cheio de água com sabão.
O Centro de Vigilância Ambiental faz a catação e o controle em prédios e áreas públicas. Em áreas privadas como casas, condomínios e terrenos, o controle é de responsabilidade do proprietário.

Prefeitura já plantou oito mil mudas de árvores em Campina Grande

Publicado em utilidade pública
Sexta, 10 Julho 2015 16:36

 

Criado há pouco mais de um ano, o Projeto Minha Árvore, da Prefeitura Municipal de Campina Grande, realizou o plantio de cerca de oito mil mudas de árvores, de diversas espécie, em escolas, praças e ruas da cidade. Criado em junho do ano passado, pela Coordenação de Meio Ambiente da Secretaria de Serviços Urbanos e Meio Ambiente, o Projeto Minha Árvore pretende aumentar em quase 30 mil o número de árvores em Campina Grande.

580px e55a009b12df69796741

Por orientação da prefeitura, a Comea também criou o viveiro de plantas, em substituição ao antigo Horto Florestal, que funcionava às margens do Açude de Bodocongó e que foi desativado durante a gestão passada. No novo viveiro, que funciona no terreno do antigo escritório do Ibama, no Serrotão, já foram produzidas mais de 20 mil mudas de árvores de diversas espécies. "O antigo horto florestal foi desativado na gestão passada mas, sensível às causas ambientais, o prefeito Romero Rodrigues viabilizou a implantação de um novo espaço e a produção tem sido extraordinária. Estamos desenvolvendo uma grande campanha de arborização em toda a cidade", comemorou Geraldo Nobre, secretário de Serviços Urbanos e Meio Ambiente.

A cessão de uso da área do viveiro, localizada no sítio São Januário, é de 20 anos. "Construímos o primeiro viveiro , onde são produzidas de 30 a 40 mudas por dia, e já estamos providenciando um segundo viveiro para dobrar essa produção", acrescentou o titular da Sesuma, destacando ainda a criação de duas salas para capacitação, pois a intenção da Sesuma é qualificar novos técnicos e ampliar o Projeto Minha Àrvore.

A partir da próxima semana, a Sesuma deve iniciar o trabalho de plantio no bairro do Jardim Paulistano. De acordo com a coordenadora de Meio Ambiente, Denise de Senna, a equipe de técnicos da Sesuma já visitou o bairro, cadastrando os moradores que queiram aderir ao programa e a estimativa é de que sejam plantadas, em média, 500 árvores no bairro.

Além de doar a muda da espécie escolhida, a Comea também dá todo o suporte técnico para as pessoas que aderirem ao programa, inclusive com o plantio e orientações para escolha da espécie mais adequada.

Caso Rebeca: promotora de Justiça vai requisitar mais diligências à Polícia Civil

Publicado em utilidade pública
Sexta, 10 Julho 2015 23:03

 

Com o objetivo de fortalecer os indícios de provas relacionadas aos investigados no 'Caso Rebeca', a promotora de Justiça do 1º Tribunal do Júri da Capital, Artemise Leal Silva, vai requisitar junto à Polícia Civil a realização de mais algumas diligências investigatórias. “Nossa intenção é fortalecer os indícios de autoria em relação aos investigados no caso”, justifica a promotora de Justiça.

A promotora ressalta que o Ministério Público da Paraíba (MPPB) vem trabalhando lado a lado com a Polícia Civil para esclarecer o caso que envolve a morte da estudante Rebeca. “É um caso complicado. Bastante difícil, mas estamos trabalhando em parceria com a Polícia Civil e, em breve, teremos informações mais contundentes e coesas em relação ao caso e aos citados nas investigações”.

De acordo com a promotora, foi a necessidade de se fazer mais diligências que a motivaram a dar o parecer contrário ao pedido de prisão preventiva de um indiciado no caso. “O Ministério Público está acompanhando o trabalho da Polícia Civil de perto, e entende que necessário se faz a realização de mais diligências, requeridas por mim”, repetiu a promotora Artemise Silva.

A estudante Rebeca Cristina, de 15 anos, foi encontrada morta com vários tiros na cabeça na tarde do dia 11 de julho de 2011, na Praia de Jacarapé, em João Pessoa. A estudante teria saído de casa às 7h para assistir aula no Colégio da Polícia Militar, como fazia todas as manhãs, quando foi raptada. Por volta das 12h30, a mãe sentiu falta da menina, pois ela não havia retornado da aula para casa, no Bairro de Mangabeira, Zona Sul da capital paraibana.

Polícia divulga balanço das ações realizadas nos eventos juninos da Paraíba

Publicado em utilidade pública
Domingo, 12 Julho 2015 04:15

 

Dados da Coordenadoria de Planeamento da Polícia Militar mostram que mais de 1,5 milhão de pessoas participaram dos 364 eventos juninos realizados em 124 cidades paraibanas, entre os dias 5 de junho e 5 de julho, período em que a corporação mobilizou mais de 4 mil policiais e 300 viaturas para garantir a segurança dos participantes.

“Garantimos um dos festejos juninos mais tranquilos do Estado, com planejamento e esforço para promover o máximo de segurança possível nos locais dos eventos, com intuito de que nosso trabalho resultasse em uma diversão com ausência de ocorrências de grande vulto para o turista que visitou nosso estado e para as pessoas que aqui escolheram passar esse tradicional período de nosso calendário”, comentou o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Euller Chaves.

Campina Grande, onde foi realizado durante um mês o Maior São João do Mundo, com dias em que o Parque do Povo recebeu mais de 100 mil pessoas, o festejo terminou com a incidência de 88 ocorrências de furtos, roubos, porte de drogas e agressões físicas, com 21 suspeitos conduzidos em flagrante até a delegacia. Trinta e três facas foram apreendidas durante abordagens a suspeitos, além de frascos de entorpecentes, embalagens com maconha, crack e cocaína. Nos 30 dias de festa, foram 11.124 serviços policiais gerados para a segurança do local da festa.

Prisões – Conforme dados da Intranet (rede interna) da Polícia Militar, em toda Paraíba foram detidas 38 pessoas em flagrante por prática de crimes nos locais de eventos, a exemplo de roubos, furtos, porte ilegal de arma e outros delitos mais recorrentes em espaços com grande concentração de público. As cidades que receberam reforço das ações da PM foram Campina Grande, Patos, Bananeiras, Santa Luzia, Solânea e João Pessoa.

Parceria entre prefeitura de Santa Rita e IFPB garante cursos para alunos da rede municipal

Publicado em utilidade pública
Segunda, 13 Julho 2015 14:17

 

Parceria entre prefeitura de Santa Rita e IFPB garante cursos para alunos da rede municipal O prefeito de Santa Rita, Reginaldo Pereira, e o reitor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB), Nicácio Lopes, anunciaram mais uma parceria que vai garantir aos alunos da rede municipal de ensino o acesso a cursos preparatórios, que reforçarão o conhecimento dos estudantes santarritenses. As aulas estão previstas para terem início já no próximo ano. A pré-seleção deverá ser realizada ainda neste semestre.

Os gestores se encontraram, na última sexta-feira (10), para fortalecer ainda mais a união entre a prefeitura e o IFPB, que já está tendo resultados. Uma dos mais importantes frutos dessa parceria é a construção de um Campus do IPFB no município de Santa Rita. O prédio está sendo erguido às margens da BR-230 e a previsão de conclusão é de dois anos.

E o prefeito Reginaldo Pereira mostrou-se muito otimista com relação aos benefícios que o Instituto trará para a população, especialmente sobre os cursos preparatórios. “Temos dado a nossa contribuição para essa extraordinária Instituição, porque sabemos que ela pode ajudar principalmente aos mais humildes que precisam de qualificação para o mercado de trabalho. Estamos cada vez mais preocupados em disponibilizar para nossos estudantes do ensino público municipal a oportunidade de se capacitarem profissionalmente. Esse curso é sem dúvidas uma das mais importantes ações para o município”, avaliou o prefeito.

O reitor do IFPB, Nicácio Lopes, destacou a importância da parceria entre a prefeitura e a Instituição e disse que o objetivo dos cursos preparatórios é de minimizar as distorções de conteúdo dos estudantes visando dar a todos a possibilidade de ter acesso a cursos técnicos do Instituto. “Vamos oferecer cursos preparatórios para estudantes matriculados regularmente no ensino público municipal, para que tenham conhecimentos reforçados nas disciplinas de língua portuguesa, matemática, história e geografia”, anunciou.

Ainda de acordo com Nicácio, todas essas ações estão sendo possíveis porque o prefeito Reginaldo Pereira tem dado total apoio ao Instituto.

“Temos recebido todo o apoio da prefeitura, que tem nos oferecido as condições logísticas. O prefeito Reginaldo Pereira tem se mostrado
muito sensível à chegada do Instituto em Santa Rita”, afirmou.

Segundo o reitor, outra pauta do encontro com o prefeito Reginaldo foi a prestação de contas sobre o andamento da construção do IFPB. “A obra se encontra num ritmo de andamento muito satisfatório, perfeitamente dentro do que está previsto dentro do cronograma físico-financeiro”, garantiu. 

O Campus do IFPB de Santa Rita é um antigo sonho dos santarritenses e está projetado para ter dois blocos de salas de aulas, bloco administrativo, auditório, biblioteca e área de conveniência. Enquanto não está pronto, o Instituto segue funcionando normalmente em um local provisório alugado pela prefeitura, na Fundação Casa da Juventude Daniel Comboni, em Tibiri II.

 

SMS e Emlur realizam ação de combate à dengue no Distrito Mecânico

Publicado em utilidade pública
Segunda, 13 Julho 2015 18:01

 

A Vigilância Ambiental da Secretaria de Saúde (SMS) de João Pessoa realiza, nesta terça-feira (14), uma ação conjunta com a Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur) em combate aos focos do mosquito da dengue no bairro do Distrito Mecânico. A atividade acontece a partir das 8h, com concentração das equipes em frente ao Cemitério Boa Sentença.

Durante a ação, agentes da Vigilância Ambiental farão o recolhimento de pneus sem utilidade, aplicação de inseticidas e pesquisa de larvas para eliminar os possíveis focos de reprodução do mosquito Aedes aegypti, vetor da dengue, acumulados nos pneus e sucatas. Além disso, haverá um trabalho de controle de roedores com a aplicação de raticidas. Os agentes da Emlur farão o recolhimento de lixo no local e a limpeza dos terrenos com a autorização dos proprietários dos estabelecimentos.

Nilton Guedes, gerente da Vigilância Ambiental, ressaltou que será um dia de intensificação das ações que já são realizadas periodicamente no local. “Vamos fazer também um trabalho de conscientização, orientando os proprietários dos estabelecimentos sobre como descartar os materiais inutilizados de forma a evitar a reprodução do mosquito”.

Nilton destacou ainda o papel fundamental da população no trabalho de combate à dengue. “É importante que as pessoas evitem depósitos de água em suas casas ou estabelecimentos, dando continuidade ao trabalho realizado pelos agentes e denunciando os possíveis focos de dengue”, disse.

Dengue - Entre os dias 1° de janeiro e 02 de julho deste ano, foram notificados 3.594 casos suspeitos de dengue, sendo que 2.360 foram confirmados. O Centro de Vigilância Ambiental (Cvaz) tem trabalhado diariamente no controle do mosquito Aedes aegypti e outras pragas, realizando visitas domiciliares, ações de conscientização da população com palestras e reuniões em escolas, condomínios, empresas, prédios, entre outros locais. Por ano, a equipe chega a realizar mais de 600 mil visitas a domicílio.

O Aedes aegypti pode viver 35 dias, mas seus ovos podem sobreviver até 450 dias. O mosquito prefere locais úmidos e basta alguns milímetros de água para eles eclodirem e, em uma semana, transformarem-se em mosquitos adultos.

TODOS OS CANAIS POR APENAS R$30,00

A1

O FUTURO DA TV É AQUI MAIS DE 7.000 CANAIS EM SERVIDOR DEDICADO DE PROTOCOLO IPTV. SISTEMA PRÉ-PAGO DE RÁPIDA INSTALAÇÃO.

EXCELENTE OPORTUNIDADE REDUÇÃO DE CUSTOS E AUMENTO DOS BENEFÍCIOS.

SOLICITE UM TESTE GRÁTIS.

A2

Hospedagem de sites Ycorn

ycorn

O Melhor em Servidores

ycorn2

Compartilhe nas Redes Sociais!

Temos 275 visitantes e Nenhum membro online

Telefones Úteis

Energisa - (83) 2106-7000
Ultragás - (83) 3292-2217
Audicon - (83) 3246-0599
Cagepa - 115
GVT - 10325
NET - 10621
SKY - 10611
Tely - (83) 3049-4229
Polícia - 190
Bombeiros - 193
SAMU - 192
(83) 3216-2500
Dele.da Mulher
(83) 3218-5316

Entre em Contato

 

Av. Senador Ruy Carneiro, 636 sl 201

Manaíra, João Pessoa, Paraíba, Brasil

Tel: (83) 3021-8885 - Cel: (83) 98725-1693

Email: redacao@24horaspb.com

Website: http://www.24horaspb.com

JoomShaper