Governo quer MCMV só para quem ganha até R$ 6,9 mil

Escrito por  Brasil Econômico
Publicado em Economia
Terça, 04 Junho 2019 18:16

Objetivo, segundo o ministro Gustavo Canuto, é resolver falhas identificadas no programa

O Ministério do Desenvolvimento Regional pretende limitar o acesso ao Minha Casa Minha Vida a famílias com renda até sete salários mínimos – ou R$ 6.986. O governo também pensa em propor reformulações que incluem capacitação profissional dos assistidos e redução dos subsídios no programa.

Hoje, o Minha Casa Minha Vida atende famílias que ganham até R$ 9 mil. Se a mudança proposta entrar em vigor, aqueles com renda acima de sete salários mínimos e até R$ 9 mil deixarão de ter acesso a taxas de juros menores que as praticadas pelo mercado imobiliário e em financiamentos com recursos da poupança, o chamado SBPE.

A ideia foi anunciada nesta terça-feira (04/06) pelo ministro Gustavo Canuto, do Desenvolvimento Regional, que participou de uma audiência pública na Comissão de Desenvolvimento Urbano da Câmara dos Deputados. O objetivo do governo é resolver algumas falhas identificadas no programa.

Mudanças

A maior alteração seria aplicada à faixa 1, dedicada às famílias que ganham até R$ 1,8 mil. A proposta do governo é diminuir o limite para um salário mínimo, hoje em R$ 998, com um adicional de localização pelo qual o valor seria multiplicado. Isso significa que regiões com custo de vida mais alto poderiam enquadrar beneficiários que recebem acima deste valor.

"Definir salário mínimo como limite para acessar o programa nem sempre é justo, porque o Brasil é muito amplo e as regiões são muito diferentes. O poder de compra de um salário mínimo na região metropolitana de São Paulo não é o mesmo poder de compra no interior do agreste pernambucano”, explicou o ministro.

As outras três faixas do programa, voltadas às famílias com renda de dois a sete salários, também sofreriam mudanças. Para o primeiro nível, a proposta é que as famílias paguem 50% do imóvel, enquanto os recursos do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) arcariam com 25% e o restante seria subsidiado pelo Orçamento Geral da União (OGU).

No nível 2, que engloba famílias com renda de dois a quatro salários mínimos, a participação do OGU acaba, o percentual para os beneficiários se mantém e o desconto do FGTS aumenta. No terceiro nível (quatro a sete salários mínimos), a única facilidade seria a taxa de juros reduzida. “[Desta forma] Vamos poder financiar mais e a construção dispara”, argumentou Canuto.

Lido 70 vezes Última modificação em Terça, 04 Junho 2019 18:22

TODOS OS CANAIS POR APENAS R$30,00

A1

O FUTURO DA TV É AQUI MAIS DE 7.000 CANAIS EM SERVIDOR DEDICADO DE PROTOCOLO IPTV. SISTEMA PRÉ-PAGO DE RÁPIDA INSTALAÇÃO.

EXCELENTE OPORTUNIDADE REDUÇÃO DE CUSTOS E AUMENTO DOS BENEFÍCIOS.

SOLICITE UM TESTE GRÁTIS.

A2

Hospedagem de sites Ycorn

ycorn

O Melhor em Servidores

ycorn2

Compartilhe nas Redes Sociais!

Temos 197 visitantes e Nenhum membro online

Telefones Úteis

Energisa - (83) 2106-7000
Ultragás - (83) 3292-2217
Audicon - (83) 3246-0599
Cagepa - 115
GVT - 10325
NET - 10621
SKY - 10611
Tely - (83) 3049-4229
Polícia - 190
Bombeiros - 193
SAMU - 192
(83) 3216-2500
Dele.da Mulher
(83) 3218-5316

Entre em Contato

 

Av. Senador Ruy Carneiro, 636 sl 201

Manaíra, João Pessoa, Paraíba, Brasil

Tel: (83) 3021-8885 - Cel: (83) 98725-1693

Email: redacao@24horaspb.com

Website: http://www.24horaspb.com

JoomShaper