Aparição de 'Momo' em vídeos no YouTube Kids preocupa os pais

Publicado em Tecnologia
Segunda, 18 Março 2019 15:30

Personagem estranha surge no meio de vídeos slime e incentiva o suicídio de crianças

Momo (na foto) é uma personagem estranha que surgiu há algum tempo na internet e chamou a atenção por assustar crianças e deixar pais em alerta pelo mundo inteiro. Inicialmente espalhado pelo WhatsApp, o perfil em questão enviava conteúdo perturbador para quem entrasse em contato, sugerindo até automutilação para crianças.

Agora parece que a Momo voltou. Dias depois do Google anunciar que vai interromper a monetização de vídeos que envolvem a personagem, novos relatos indicam que a Momo começou a surgir em meio a vídeos voltados para o público infantil - superando inclusive os filtros do YouTube Kids.

É uma questão bastante grave, principalmente considerando que a Momo surgiu em meio a vídeos de crianças brincando com slimes - o tipo de conteúdo que os pequenos gostam bastante e consomem muito quando estão à frente do YouTube. Em vez das pessoas brincando, os vídeos apresentavam a Momo ensinando como fazer para cortar os pulsos. Pais relatam que seus filhos ficaram traumatizados com as imagens, e estão até com dificuldade para dormir.

Em nota ao site da Revista Crescer, o YouTube se defendeu das acusações e diz que não vê evidências da promoção do "Desafio Momo" no YouTube. O departamento de comunicação do YouTube Kids também nega que vídeos da personagem tenham furado o filtro de conteúdo infantil. "Ao contrário dos relatos apresentados, não recebemos nenhuma evidência recente de vídeos mostrando ou promovendo o desafio Momo no YouTube Kids. Conteúdo desse tipo violaria nossas políticas e seria removido imediatamente", diz uma nota.

Não é a primeira vez que usuários relatam que o YouTube Kids exibiu conteúdo inadequado para crianças e é mais um lembrete de que sistemas de recomendação na internet são bastante problemáticos e podem ser usados para espalhar teorias conspiratórias e desinformação em geral. Por isso, é fundamental que os pais acompanhem de perto o conteúdo consumido pelos filhos para garantir que eles vejam coisas adequadas às suas idades.

Serviço do Facebook tem dificuldade para se manter relevante

Publicado em Tecnologia
Segunda, 18 Março 2019 15:41

O Today In ajuda as pessoas a se manterem bem informadas, mas a produção de notícias locais tem sido um grande desafio

A internet foi responsável, em todo o mundo, por uma mudança de paradigma no jornalismo: muitos jornais foram duramente atingidos — e até fecharam as portas — quando a publicidade migrou da plataforma impressa para a online. E o Facebook é, claro, uma das empresas que mais capta esse tipo de verba.

Só nos EUA, cerca de 1.800 jornais foram encerrados na época em que a rede social surgiu, há cerca de 15 anos, e toda semana há novos fechamentos. Paralelamente, surgiram muitos sites de notícias locais, mas eles não foram suficientes para preencher a lacuna deixada em muitas partes do país. Obviamente, o Facebook não é a única razão para que essas empresas tenham enfrentado dificuldades: consolidações e incorporações têm participação nisso, mas ele e o Google participaram desse contexto.

Ironicamente, entretanto, isso está se voltando contra a empresa. Seu serviço Today In, criado para ajudar os habitantes dos EUA a se manterem por dentro de notícias, informações e eventos locais, não tem conseguido progredir. Atualmente, embora já esteja disponível em 400 cidades americanas, é falho em partes do país — algumas das quais, provavelmente, mais precisam dele, já que há pouca (ou nenhuma) oferta de jornais locais.

Isso porque o Facebook está com dificuldades para encontrar informações suficientes para manter o serviço relevante. Cerca de 1/3 dos usuários da plataforma no país moram em áreas em que a companhia não tem sido capaz de reunir uma quantidade significativa de notícias locais. "Nos últimos 28 dias, não conseguimos coletar cinco ou mais reportagens relacionadas com essas localidades”, relata o Facebook.

Por enquanto, a empresa não tem planos de montar uma equipe para produzir notícias, conforme contou à Associated Press, mas criou muitos programas de apoio a jornalistas. Além de anunciar, em janeiro, o Facebook Journalism Project (que planeja investir US$ 300 milhões em redações locais), revelou hoje que vai oferecer cerca de 100 incentivos de até US$ 25 mil para quem tiver ideias de como melhorar a disponibilidade das notícias.

Google anuncia Stadia, plataforma de jogos por streaming

Publicado em Tecnologia
Terça, 19 Março 2019 22:33

Novo console da Google foi anunciado na GDC 2019 e funcionará como Netflix dos jogos

Stadia promete reproduzir jogos em até 8K no futuro — Foto: Reprodução

A Google revelou ao mundo o Stadia, uma plataforma de jogos por streaming que chega ainda em 2019 nos EUA, Canadá e Europa . O anúncio foi feito nesta terça-feira (19/03) em São Francisco, EUA, em uma conferência na GDC 2019 onde revelou seu novo serviço, que rodará jogos em nuvem como uma "Netflix dos games". A apresentação contou com a presença de estúdios importantes, como a Id Software, e com o anúncio de um estúdio de produção de games do Google com Jade Raymond (no centro da foto), ex-EA e Ubisoft, no comando.

O sistema funcionará via streaming, sem a necessidade de um console físico – apenas um controle específico, produzido exclusivamente para o Stadia. O dispositivo tem formato parecido com o do Xbox One e PS4, inclusive com botões como A, B, X, Y, além de direcionais e analógicos. A plataforma funcionará a partir de computadores, tablets, celulares e até mesmo via TVs.

A Google descreve o Stadia como “uma plataforma onde todos poderão fazer de tudo, voltada para quem joga games, para quem produz games e para quem cria conteúdo com games”, referindo-se a YouTubers, desenvolvedores e, claro, o público.

Stadia rodará em diversos dispositivos diferentes, como PCs, TVs, Smartphones e Tablets — Foto: Reprodução

A ideia da Google partiu de vários outros projetos desenvolvidos no passado, como o Project Stream, lançado em 2018 em formato de protótipo, com o game Assassin’s Creed Odyssey, rodando em um navegador Google Chrome. Este jogo também foi demonstrado pela Ubisoft na apresentação do Stadia, onde o jogador pode começar a jogar este mesmo título em questão de segundos, sem a necessidade de carregamentos ou downloads.

O Google também confirmou que qualquer controle compatível com as plataformas existentes, como Xbox One e PS4, também funcionarão no Stadia. Basta que eles tenham compatibilidade nativa, como se fosse jogar um game no PC, por exemplo.

Já o controle do Stadia se conecta diretamente com o data center do Google, via Wi-Fi, para “ler” os dados do game e enviar para a tela. Ele também virá com um botão de Captura, para transmitir fotos e vídeos do título que está rodando. Um segundo botão, chamado Google Assistant, será possível pedir dicas de jogos via microfone, também embutido no controle, em tempo real e sem nenhum tipo de impedimento.

Controle do Stadia — Foto: Reprodução

O Stadia será capaz de rodar jogos em variadas resoluções, de 1080p a 4K, mas com a possibilidade de alcançar até 8K no futuro. Também será possível transmitir via YouTube a 4K, sem perda de qualidade e a 60 quadros por segundo.

Apesar de não ter console, o data center do Google possui configuração superior a qualquer outro videogame atual, como PS4 Pro ou Xbox One X, com 10.7 Teraflops, o que se traduz em um enorme poder de processamento.

Entre os parceiros confirmados para o Stadia estão Unity, Bethesda, Ubisoft, Unreal Engine, Epic Games, AMD, Havok, entre outros nomes envolvidos com produção de jogos e tecnologia para games. Título como Assassin’s Creed Odyssey e DOOM Eternal foram mencionados e demonstrados.

Phil Harrison, executivo do Google, usou ainda o exemplo de jogos Battle Royale, que hoje são no formato de 100 jogadores, mas que podem chegar a até mil jogadores no futuro, graças ao Stadia. Além disso, ele garantiu que o Stadia terá suporte a multiplayer "crossplataforms" com todos os outros dispositivos.

Uma funcionalidade inédita também foi anunciada. Chamada de State Share, que permite compartilhar seu savegame com outros jogadores via streaming, possibilitando uma melhor comunicação e união da comunidade. Já o Crowd Play te permitirá jogar com outras pessoas que já estão jogando e transmitindo seus games. Por exemplo, um YouTuber famoso pode abrir sua transmissão para que seus fãs possam entrar em tempo real, em uma partida de NBA 2K19.

O Google alega que tudo será feito em tempo real e sem impedimentos ou "lags". O State Share também será compatível com o Crowd Play e permitirá que você repita as ações do que assistir em um streaming de um jogo.

Mais de 100 estúdios estão comprometidos com o Stadia, já com o hardware para desenvolvimento. Em casamento com isso, o Google fundará o estúdio de games da plataforma, chamado Stadia Games and Entertainment, para criar títulos exclusivos, com Jade Raymond, ex-Ubisoft e ex-EA, no comando.

Doom Eternal será lançado para Stadia e rodará a 60fps — Foto: Divulgação/Bethesda

Doom Eternal será lançado para Stadia e rodará a 60fps — Foto: Divulgação/Bethesda

Em visita de Bolsonaro, EUA advertem BR sobre a Huawei

Publicado em Tecnologia
Terça, 19 Março 2019 22:44

Governo americano tenta convencer o Brasil a não fazer negócios com a gigante chinesa

A campanha dos Estanos Unidos contra a empresa chinesa Huawei chegou aos ouvidos de autoridades brasileiras, segundo uma reportagem da agência de notícias Reuters. A advertência dos EUA foi feita durante a visita do presidente Jair Bolsonaro a Washington, nesta semana.

Segundo membros do governo norte-americano que não quiseram se identificar, autoridades dos EUA falaram às brasileiras a respeito dos supostos "perigos" envolvendo o equipamento de telecomunicações da Huawei. Segundo os norte-americanos, a Huawei pode ser usada como ferramenta de espionagem do governo chinês.

"Eles tiveram toda uma série de diferentes reuniões aqui onde ouviram de nossos especialistas em segurança, questões de inteligência e outras áreas para entender as consequências dessas redes e o quão francamente perigosas, e como elas podem minar sua segurança internamente", disse a fonte anônima da Reuters.

Um membro da delegação brasileira em Washington, que também não quis se identificar, confirmou a conversa cobre Huawei, mas disse que "o Brasil não quer ficar no meio da disputa entre Estados Unidos e China" em relação à empresa. A mesma autoridade disse que, no momento, o governo brasileiro não estuda qualquer sanção à Huawei.

Bolsonaro chegou em Washington, capital dos EUA, na tarde do último domingo (17/03). Ele é acompanhado por uma comitiva de assessores e ministros, entre os quais estão Paulo Guedes (da economia) e Sérgio Moro (justiça e segurança pública).

Nesta terça-feira (19/03) o presidente teveseu primeiro encontro bilateral como chefe de Estado com o presidente dos EUA, Donald Trump, na Casa Branca, sede do governo federal norte-americano. Entre outros assuntos, os dois mandatários conversaram sobre o uso de uma base de lançamento de foguetes no Brasil e, possivelmente, sobre a Huawei e a China.

Huawei no Brasil

Recentemente, o ministro da Ciência e Tecnologia do Brasil, Marcos Pontes, disse que a Huawei não está sob investigação no país, mas que a decisão sobre o futuro da empresa e do 5G por aqui caberá ao presidente Bolsonaro. A Huawei é fornecedora de equipamentos de telecomunicação que servem para a instação de antenas de sinal 4G e 5G no mundo todo.

Pontes ainda declarou que não foi feita uma análise específica de cada uma dessas possibilidades. "Não se muda a infraestrutura de um país de uma hora para outra. A questão tem de ser pensada, analisada com fatos para tomarmos decisão baseada em realidade".

A Huawei, que atua no Brasil oferecendo infraestrutura de telecomunicações a operadoras há mais de uma década, confirmou que pretende voltar a vender smartphones por aqui em maio. A empresa já é uma das maiores vendedoras de celulares do mundo, atrás apenas da coreana Samsung.

EUA versus Huawei

Nos últimos tempos, o governo dos EUA tem liderado uma campanha contra a Huawei. No começo de 2018, a empresa foi barrada ao tentar vender seus smartphones por lá. Mais recentemente, os norte-americanos tentam convencer aliados a não utilizar equipamentos da empresa chinesa.

Os EUA acreditam que a Huawei tem ligações próximas ao governo da China e que pode estar vazando informações sigilosas de outros países para Pequim. O estado chinês nega que esteja espionando o Ocidente através da Huawei, e a empresa nega que esteja vazando informações ao governo da China.

Em dezembro de 2018, essa briga levou à prisão Meng Wanzhou, vice-presidente do conselho administrativo da Huawei e também presidente financeira da empresa (CFO). A executiva, que também é filha de Ren Zhengfei, fundador da Huawei, foi presa no Canadá a pedido dos EUA por ignorar sanções impostas ao Irã.

Asteroide raro passará perto da Terra em cerca de dois dias

Publicado em Tecnologia
Quarta, 20 Março 2019 21:00

Objeto é duas vezes maior do que o que explodiu sobre a Rússia em 2013

Um asteroide de 39 metros de largura passará próximo à Terra essa semana, a uma distância menor do que a da Lua com o nosso planeta. Os cientistas têm observado o curso dessa rocha espacial desde o início do mês, especialmente, por conta do tamanho não usual do objeto e pela sua velocidade lenta - cerca de cinco quilômetros por segundo.

Asteroides passando perto da Terra são mais normais do que se possa imaginar, porém, na maioria das vezes, são pequenos e passam despercebidos pelos cientistas ou até mesmo, destroem-se ao cruzar a camada atmosférica.

Entretanto, o asteroide que passa neste 22 de março é diferente. Ele é duas vezes maior do que o que explodiu sobre a Rússia em 2013, mas não tem chances de chegar tão perto quanto. De acordo com os cientistas, ainda terão 303.733 mil quilômetros nos separando dele. Ufa!

Já para os curiosos ou entusiastas de plantão, caso você tenha um telescópio poderoso, será possível acompanhar a passagem da rocha pela Terra. Boa sorte!

Celulares piratas serão bloqueados no Norte, Nordeste e Sudeste

Publicado em Tecnologia
Quinta, 21 Março 2019 17:45

Medida afetará usuários de 15 estados a partir de domingo. Smartphones importados não serão bloqueados

A Anatel irá bloquear celulares piratas nas regiões Norte, Nordeste e Sudeste a partir do próximo domingo (24/03). Os dispositivos afetados são aqueles que não foram homologados pela Agência reguladora ou que têm o IMEI clonado, habilitados a partir de 7 de janeiro, nos estados do Amazonas, Roraima, Pará, Amapá, Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia, Minas Gerais e São Paulo. Vale lembrar que smartphones importados não serão atingidos.

A ação faz parte do projeto Celular Legal, da Anatel, que busca conter a venda de celulares irregulares e reduzir o número de roubos. Segundo a agência, 244.217 telefones já foram bloqueados em todo o Brasil.

Esta é a última etapa do programa Celular Legal, que já atingiu 244.217 dispositivos no país, e tem 15 estados brasileiros como alvo. Os celulares que não foram homologados ou que possuem IMEI clonado e foram habilitados a partir de 7 de janeiro serão bloqueados pela Anatel. A ação já está em vigor nas seguintes regiões:

- Centro-Oeste: Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul)
- Norte: Acre, Rondônia, Tocantins
- Sudeste: Espírito Santo e Rio de Janeiro
- Sul: Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul

A medida não afetará celulares importados, desde que estejam certificados por órgãos estrangeiros equivalentes à Agência Nacional de Telecomunicações. Dessa forma, smartphones de marcas conhecidas, como Xiaomi, Oppo, entre outras, não serão atingidos pela ação.

A Anatel ressalta que apenas celulares irregulares serão alvos da ação. Segundo a agência, é possível consultar a situação do dispositivo pelo site do projeto Celular Legal (http://www.anatel.gov.br/celularlegal/consulte-sua-situacao) com o número do IMEI.

Estudo comprova que o cérebro funciona como uma máquina

Publicado em Tecnologia
Sexta, 22 Março 2019 15:07

Estudo diz que cérebro humano é um dispositivo com inteligência artificial pensam de maneira semelhante

É senso comum que os computadores são inteligentes: afinal, eles vencem campeonatos de xadrez e apresentam soluções para os mais variados tipos de problemas. A novidade é que um estudo da Universidade Johns Hopkins mostra que os pensamentos humanos não são tão diferentes deles assim.

Chaz Firestone, professor-assistente do Departamento de Psicologia e Ciências do Cérebro, e Zhenglong Zhou, especialista em ciências cognitivas, decidiram mostrar que tipo de imagem costuma enganar a inteligência artificial das máquinas.

Depois de analisar os resultados, os pesquisadores chegaram à conclusão de que os humanos fizeram as mesmas escolhas que o computador em 75% das vezes. Isso mostra que o cérebro funciona mais ou menos como uma máquina.

Firestone diz que um aspecto importante é que os seres humanos são capazes de antecipar quando uma máquina fará algo errado. "Quer gostemos ou não, a inteligência artificial está em nossas vidas e é preciso aprender um monte de coisas sobre como ela funciona. Já fazemos isso quando conversamos com a Siri, por exemplo."

Aparelho da Microsoft consegue gravar dados em DNA

Publicado em Tecnologia
Sexta, 22 Março 2019 15:14

O dispositivo converte linhas de texto em DNA para facilitar o armazenamento

Com o avanço da tecnologia vem o avanço no armazenamento de dados. Como HDs externos e pen drives não são as formas mais seguras de guardar informação, a Microsoft, em parceria com pesquisadores da Universidade de Washington, aprimorou e automatizou o processo de transformar informações em traços de DNA.

Nos primeiros testes, o protótipo de US$ 10 mil converteu a palavra "Hello" em DNA. O dispositivo a sintetizou e armazenou. Em seguida, um sequenciador de DNA foi usado para ler o que foi armazenado e, após 21 horas, o DNA foi convertido novamente na mensagem. Pesquisadores garantem que esse tempo pode ser reduzido para algo em torno de 12 horas. Eles ainda sugerem que os custos podem ser reduzidos em alguns milhares de dólares.

Essa é a aposta da Microsoft para o armazenamento de dados. A companhia aponta que o DNA sobreviveu por milhares de anos em presas de mamutes e em ossos humanos. Com essa tecnologia, os dados guardados em um servidor do tamanho de um armazém passam a ocupar um espaço muito menor. A ideia é ter um banco de dados que armazena DNA em funcionamento até o fim desta década.

Esse armazenamento não é completamente novo, mas a automação do processo sim. Antes de ser lançado comercialmente, ele deve se tornar monetariamente viável. Ou seja, a tecnologia ainda precisa passar por ajustes para baratear os custos. Embora pareça coisa de filmes de ficção científica, como "Blade Runner", pode ser que seja viável armazenar DNA antes mesmo do que se espera.

Malware transforma caixas eletrônicos em caça-níqueis

Publicado em Tecnologia
Segunda, 25 Março 2019 21:15

Os criminosos fazem as máquinas liberarem todo o dinheiro usando apenas um comando

WinPot. Esse é o nome do malware que transforma caixas eletrônicos em máquinas caça-níqueis. Seus criadores provavelmente se inspiraram no termo jackpotting — que faz referência aos ataques em que cibercriminosos forçam um caixa automático a, literalmente, cuspir dinheiro.

O WinPot parece um jogo de caça-níqueis: os indivíduos realmente esperam o dinheiro ser liberado nos caixas automáticos. Existe uma diferença entre o funcionamento das máquinas de jogo e o WinPot, já que ele garante a "vitória".

Talvez, inclusive, isso explique a primeira parte de seu nome: não existe possibilidade de derrota, como acontece nos cassinos. As janelas da máquina caça-níqueis mostram o nome das cédulas e a quantidade de notas existentes em cada dispensador. Só é preciso escolher a saída que tem mais dinheiro e pressionar "Spin" (Rodar).

É possível usar a opção "Scan" (Verificar) para recontar as notas. O sistema prevê possíveis percalços, então existe o botão "Stop" (Parar). Em uma emergência, a função bloqueia o saque antes de levantar suspeitas sobre o criminoso.

Interface do malware WinPot

Existem várias versões do WinPot. Cada uma com funcionalidades e recursos próprios. Essa variedade contribui tanto para que o vírus burle novas medidas de proteção de caixas eletrônicos quanto para evitar abusos — como alguém tentar copiar o software para, em um próximo crime, ficar com todo o dinheiro. Alguns tipos do malware operam por tempo limitado e depois são desativados.

As ações dos cibercriminosos, porém, não consistem apenas em roubar caixas automáticos. Existem múltiplas maneiras de roubar dinheiro de clientes bancários: câmeras escondidas, teclados falsos e outros dispositivos para obter senhas e dados da tarja magnética do cartão.

Muitas vezes, o usuário não nota nada de anormal na aparência da máquina. Por isso, é recomendável, de acordo com a Kaspersky Lab, ativar notificações de mensagens de texto sobre saques e transferências (assim, pode-se bloquear o cartão o quanto antes), utilizar caixas em agências bancárias (mais difíceis de reprogramar), ficar o mais próximo possível do terminal, cobrir o teclado com a mão ao digitar a senha e prestar atenção a qualquer sinal incomum na aparência externa do caixa eletrônico ou no que é mostrado na tela.

Apple Card: conheça o cartão de crédito, sem anuidade

Publicado em Tecnologia
Segunda, 25 Março 2019 21:17

Entre as funcionalidades do cartão estão a capacidade de acompanhar compras e verificar a fatura por meio do próprio aplicativo, além do acompanhamento da data de vencimento da fatura

A Apple anunciou nesta segunda-feira (25/03) a chegada de um cartão de crédito próprio. O serviço inédito na história da empresa promete uma experiência simplificada de cadastro, oferecendo um cartão digital, mas também contará com um cartão físico.

Não chega a ser muito diferente do que o Nubank, por exemplo, oferece. Entre as funcionalidades do cartão estão a capacidade de acompanhar compras e verificar a fatura por meio do próprio aplicativo, além do acompanhamento da data de vencimento da fatura.

A grande vantagem apresentada pela Apple é o fato de que o cadastro pode ser feito diretamente pelo aplicativo Apple Wallet. Após a aprovação, o cartão digital está disponível para uso em alguns minutos direto pelo app, o que permite seu uso imediato sem precisar esperar pela produção e entrega do cartão.

Outro ponto importante do Apple Card é o fato de que ele não tem tarifas, o que vai contra o que se espera da Apple, que tem a fama de cobrar caro por tudo. A empresa anuncia que não há qualquer tipo de anuidade pelo cartão, nem cobranças extras pelo uso internacional do cartão ou por usar o crédito além do seu limite. A empresa também promete uma taxa de juros abaixo da média do mercado.

Entre as funcionalidades tecnológicas do serviço estão a capacidade de usar o aprendizado de máquina e o Apple Maps para etiquetar e organizar melhor os seus gastos. Por exemplo: se você fizer uma compra numa livraria com o cartão, o Apple Maps vai reconhecer onde você está e poderá categorizar a compra automaticamente.

Para tirar esse plano do papel, a Apple se associou a outras duas gigantes do mundo das finanças. A empresa fechou parceria com a Goldman Sachs para emissão do cartão, e a bandeira será Mastercard.

Por enquanto, a Apple confirmou o lançamento de seu cartão de crédito apenas nos Estados Unidos, o que acontecerá a partir do terceiro trimestre deste ano. Não há previsão de expansão para outras regiões até o momento.

bannermarcelo0000

Compartilhe nas Redes Sociais!

Temos 169 visitantes e Nenhum membro online

Telefones Úteis

Energisa - (83) 2106-7000
Ultragás - (83) 3292-2217
Audicon - (83) 3246-0599
Cagepa - 115
GVT - 10325
NET - 10621
SKY - 10611
Tely - (83) 3049-4229
Polícia - 190
Bombeiros - 193
SAMU - 192
(83) 3216-2500
Dele.da Mulher
(83) 3218-5316

Entre em Contato

 

Av. Senador Ruy Carneiro, 636 sl 201

Manaíra, João Pessoa, Paraíba, Brasil

Tel: (83) 3021-8885 - Cel: (83) 98725-1693

Email: redacao@24horaspb.com

Website: http://www.24horaspb.com

JoomShaper