ANA proíbe retirada de água do rio Piranhas-Açu para irrigação

Publicado em Paraíba
Sexta, 03 Julho 2015 15:31

 

 

A partir desta quarta-feira (1º) está proibida a retirada de água do rio Piranhas-Açu para irrigação. O trecho restrito vai do açude Curemas, na cidade de Coremas, ao reservatório Armando Ribeiro, no município norte-rio-grandense de Assú. A decisão foi anunciada nesta terça-feira (30) pela Agência Nacional das Águas (ANA) durante reunião em João Pessoa com diretores da Agência Executiva de Gestão das Águas (Aesa) e do Instituto de Gestão das Águas do Estado do Rio Grande do Norte (Igarn).

aesa-ANA-proibe-retirada-de-agua-do-rio-piranhas-acu-para-irrigacao

De acordo com o diretor de Gestão da ANA, Paulo Varella, o veto foi provocado pela estiagem que baixou os níveis de três açudes que são abastecidos pelo rio Piranhas-Açú: Coremas está com 17,9% de sua capacidade máxima e Mãe D’Água, 20,8%, enquanto que o Armando Ribeiro tem 28,2%.

“Não tivemos outra alternativa. Esta é a única solução possível para dar garantia de abastecimento da população. Daí esta decisão ter sido tomada em consenso entre ANA, Aesa, Igarn e comitê de bacia do Piranhas-Açu, comprovando a maturidade do sistema de gestão dos recursos hídricos”, observou Varella.

A fiscalização para impedir a retirada da água para irrigação será feita pelos órgãos envolvidos, com apoio de policiais dos dois estados. “Teremos inclusive apoio aéreo da Polícia Militar da Paraíba e também de um helicóptero que será disponibilizado pela ANA. Com este suporte faremos uma fiscalização efetiva, vigorosa e permanente com o objetivo de garantir o consumo humano e dos animais. Se soubermos aproveitar bem esta reserva que temos, não vai faltar água”, observou o presidente da Aesa, João Fernandes da Silva. “Quem for flagrado terá a bomba lacrada e perderá a outorga”, acrescentou Flávia Barros, superintendente de fiscalização da ANA.

As barragens Coremas e Mãe D’Água abastecem aproximadamente 500 mil habitantes. Destes, 90 mil são norte-rio-grandenses. Os níveis dos reservatórios são monitorados diariamente pela Aesa. Informações como a capacidade máxima e o nível das barragens estão disponíveis na página www.aesa.pb.gov.br. O site também disponibiliza previsões climáticas para todas as regiões do Estado.

 

 

Agricultor usa a Tarifa Verde para produção de ração animal

Publicado em Paraíba
Sexta, 03 Julho 2015 23:21

 

A utilização da Tarifa Verde pelos agricultores familiares está viabilizando o uso sistema de irrigação para a produção de ração destinada à alimentação do rebanho durante o período de estiagem. No Sítio Paraíso, na propriedade de Guilherme Elias, no município de São Francisco, na região de Sousa, com acompanhamento da Unidade Operativa da Emater local, será cultivada uma área de sorgo forrageiro para armazenamento em silos de superfície.

Está é mais uma ação de enfretamento aos efeitos da seca no semiárido paraibano executada pela Gestão Unificada Emater/Emepa/Interpa, sob a coordenação da Secretaria do Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca, seguindo o Plano Emergencial apresentado recentemente pelo Governo do Estado. A GU está em toda parte da Paraíba, buscando alternativas para ajudar os agricultores familiares na produção de ração no atendimento dos rebanhos durante o período crítico de escassez de forragem.

A produção de sorgo forrageiro usando o sistema de irrigação por gotejamento pelo agricultor, por ser mais eficiente seu aproveitamento ou rendimento, trará bons resultados desde que a irrigação aconteça dentro da faixa do plano A ou B definido pelo programa Tarifa Verde. Após a instalação da tarifa verde, o agricultor implantou o sistema de irrigação na área onde vai ser cultivado um hectare de sorgo, com a finalidade de armazenar a silagem para atender o rebanho no período crítico.

Para José Marinho de Lima, responsável pelo Programa Tarifa Verde na Emater PB, os benefícios para o produtor que utiliza esse sistema são desde a diminuição dos gastos com energia, utilização racional da água através de um sistema de irrigação mais eficiente, como é caso agricultor Guilherme Elias, garantindo a formação de pastagem para servir de suporte alimentar do seu rebanho.

O coordenador regional da Emater em Sousa, Francisco de Assis Bernardino, destacou que, em plena estiagem, com a vegetação devastada pela seca, os agricultores estão optando por produzir e armazenar forragem.

Poço Dantas - Dando continuidade às ações de enfrentamento à seca, por meio da Gestão Unificada, o programa de armazenamento de forragem continua no município de Poço Dantas, na regional de Sousa. Entre os dias 27 e 28 de junho, foram concluídos mais três silos em unidades familiares. Parte dos criadores não tinha conhecimento desta prática.

Segundo Assis Bernardino, a campanha continua devido a aceitação por parte dos produtores, pois estão cientes que para criar no Sertão é necessário armazenar forragem para o período crítico. “Os extensionistas estão de parabéns pelo trabalho de conscientização junto às famílias do Pronaf para este importante trabalho que visa garantir suporte forrageiro para a manutenção dos rebanhos”, destacou o presidente da GU, Nivaldo Magalhães. Um dos silos, com capacidade de 23 toneladas, foi feito na unidade familiar do senhor Francisco Ivan da Silva, na comunidade Boa Vista.

Uiraúna – Também no município de Uiraúna, os agricultores familiares fizeram plano de custeio pecuário para aquisição de ração concentrada (torta de algodão). Firmaram um grupo para adquirir o produto por um preço mais barato, diretamente na fábrica e com direito a receber a mercadoria na propriedade.

Os agricultores vêm sendo assessorados pela equipe técnica da Emater local, que faz a elaboração das propostas para aquisição do produto considerado de boa qualidade.

João Pessoa é apontada como a sexta melhor cidade brasileira para se viver

Publicado em Paraíba
Segunda, 06 Julho 2015 03:12

 

A cidade de João Pessoa apareceu na sexta colocação em uma lista com as dez melhores cidades brasileiras para se viver publicada pelo portal paranaense Sempre Família. Na matéria, foram elencadas as cidades que apresentam os melhores IDHM (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal), referência comumente utilizada para medição da qualidade de vida e que leva em consideração a longevidade, a educação e a renda da população.

Para o diretor de gestão curricular da Secretaria de Educação de João Pessoa, Gilberto Cruz, a boa colocação da cidade não é surpresa. Ele explica que os investimentos da gestão atual na educação infantil, estão diretamente ligados à melhoria na qualidade de vida da população, influenciando até o fator geração de emprego e renda e que os resultados devem se potencializar nos próximos quatro anos. “Isso se reflete em vários outros aspectos: os pais ficam tranquilos para poder trabalhar e melhorar a renda e as crianças tem a oportunidade de um futuro melhor. Não há desenvolvimento possível sem que a educação infantil seja priorizada”, sentencia.

Ainda de acordo com informações publicadas pelo portal, o IDHM da Capital paraibana é de 0,763. O veículo destaca ainda que a cidade recebe o apelido de “Porta do Sol” por abrigar a Ponta do Seixas, considerada a região mais oriental das Américas. João Pessoa também concentra 30,7% de todas as riquezas produzidas na Paraíba. “Estamos fazendo desde abril rankings de melhores cidades para se viver. Percebemos que as pessoas estão interessadas em ter mais informação sobre qualidade de vida, por isso, estamos investindo em matérias como essa”, explica a editora-responsável pelo site Sempre Família, Kamila Mendes Martins.

O Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) varia de 0 a 1. Quanto mais próximo de 1, maior o desenvolvimento humano. O conceito de desenvolvimento humano está ligado ao bem-estar de uma sociedade com base suas oportunidades e capacidades.

O conceito de Desenvolvimento Humano também parte do pressuposto de que para garantir o avanço na qualidade de vida de uma população é preciso considerar características sociais, culturais e políticas que influenciam a qualidade da vida humana. O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) consta no Relatório de Desenvolvimento Humano (RDH), publicados anualmente pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

Governo do Estado realiza em setembro leilão de gado Gir, Guzerá e Sindi da Emepa

Publicado em Paraíba
Terça, 07 Julho 2015 13:56

 

Os criadores que estão interessados em adquirir reprodutores e matrizes bovinos das raças Gir, Guzerá e Sindi, pesquisados pela Emepa, empresa integrante da Gestão Unificada Emater/Emepa/Interpa (GU), vinculada à Secretaria de Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca (Sedap), devem esperar até setembro, quando o Governo do Estado realizará leilão com animais da melhor genética existente em suas estações experimentais.

Assim como os animais das raças Guzerá e Sindi da Estação Experimental de Alagoinha, o Gir leiteiro de Umbuzeiro também está sendo selecionado para o leilão. Todos estarão disponíveis para os criadores que desejam melhorar seu plantel. O presidente da GU, Nivaldo Magalhães, informou que a data e o local do leilão ainda estão sendo definidos, mas também destacou que o evento tem um grande significado no fortalecimento da pecuária paraibana.

O diretor técnico da Emepa, Manoel Duré, enfatizou o Programa de Melhoramento Genético, num trabalho de parceria com a Embrapa, como sendo de grande importância, pois disponibilizará, por meio do leilão, que as pesquisas cheguem para todos os pecuaristas da Paraíba.

Para o chefe da Estação de Alagoinha, pesquisador Rômulo Freitas, o evento é uma oportunidade para o criador melhorar a genética do seu rebanho e, como consequência, aumentar a produção e a produtividade. Para o pesquisador da Emepa, Ricardo Leite, chefe da Estação de Umbuzeiro, a Paraíba sempre se destacou pela qualidade de seus animais bovinos, principalmente, os zebuínos leiteiros.

Campina Grande Sesuma intensifica fiscalização para coibir pesca no Açude Velho

Publicado em Paraíba
Quinta, 09 Julho 2015 17:36

 

A Secretaria de Serviços Urbanos e Meio Ambiente de Campina Grande vai intensificar a fiscalização em torno do Açude Velho, para coibir a pesca, que sempre foi proibida naquele local. O principal motivo dessa proibição é a poluição das águas do manancial, o que torna o peixe impróprio para o consumo humano. “Se a água não serve para o consumo, por conta da poluição, o peixe também não serve. Diante disso, estamos intensificando a fiscalização em toda área do nosso principal cartão postal", argumentou o secretário de Serviços Urbanos e Meio Ambiente, Geraldo Nobre.

O secretário explicou que a pesca no Açude Velho nunca foi autorizada, por vários outros motivos, além da água poluída. “Essa área é utilizada para caminhadas e passeios e alguns pescadores utilizam tarrafas, causando transtornos e pequenos acidentes para as pessoas que passam pelo local”, frisou Geraldo.

Outra razão é a limpeza pois, de acordo com o secretário, os pescadores sujam as calçadas e ainda deixam os pequenos peixes (alevinos) no local ou os atiram, já mortos, no manancial, causando fedentina", frisou o secretário.

A população pode colaborar com o trabalho da Coema, denunciando a prática da pesca, para que a Sesuma tome as providências. As denúncias devem ser feitas por intermédio de contato telefônico para os números (83) 3310-6115 ou 3310-6125. Na primeira vez , o responsável recebe uma advertência e, caso haja reincidência, são adotadas outras providências, inclusive, com a apreensão do instrumento de pesca, seja anzol ou tarrafa.

Sine-PB oferece mais de 300 vagas para operadores de telemarketing

Publicado em Paraíba
Quinta, 09 Julho 2015 18:11

 

O Sistema Nacional de Empregos na Paraíba (Sine-PB) disponibiliza 358 vagas de emprego. Dessas oportunidades, 300 são para o cargo de operador de telemarketing ativo e 25 para costureira. Além das duas funções, há chances ainda para profissionais de outras 24 áreas de atuação voltarem ao mercado de trabalho.

Aquele que se interessar por uma das vagas e não tiver cadastro no Sine-PB, deverá fazê-lo na sede ou em qualquer posto do programa. Na ocasião, ele precisa entregar os documentos necessários, que são os pessoais de identidade, entre os quais RG, CPF e Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS), além do currículo.

As atividades do Sine-PB são desenvolvidas pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Humano (Sedh). Para mais informações, basta ligar para o telefone (83) 3218-6600. A sede do programa fica localizada na Rua Duque de Caxias, 305, Centro de João Pessoa (próxima ao Shopping Popular Terceirão). As unidades de atendimento em João Pessoa funcionam nas casas da cidadania (Tambiá, Manaíra, Mangabeira e Jaguaribe).

Confira abaixo as vagas disponíveis:

RELAÇÃO D E VAGAS SINE-PB- JOÃO PESSOA
AGENTE DE PORTARIA - 01
AJUDANTE DE CARGA E DESCARGA - 02
AUXILIAR ADMINISTRATIVO - 01
ATENDENTE COMERCIAL - 01
AUXILIAR DE LINHA DE PRODUÇÃO (pessoas com deficiência) - 01
AUXILIAR DE PESSOAL - 01
CONTROLADOR DE TRÁFEGO - 01
COBRADOR DE TRANSPORTES COLETIVO (Pessoas com deficiência) - 03
COSTUREIRA EM GERAL - 25
COSTUREIRA DE MÁQUINA RETA - 01
ENGENHEIRO CIVIL - 01
FRENTISTA - 05
INSTALADOR DE SOM E ACESSÓRIOS DE VEICULOS - 01
LANTERNEIRO DE AUTOMÓVEIS - 01
MECÂNICO DE BICICLETAS - 01
MECÂNICO DE AUTOMÓVEL - 02
MONTADOR DE AUTOMÓVEIS - 01
OFICIAL DE SERVIÇOS GERAIS NA MANUTENÇÃO - 01
OPERADOR DE GRUA - 01
OPERADOR DE BETONEIRA - 01
OPERADOR DE TELEMARKETING ATIVO - 300
PASTELEIRO - 01
PIZZAIOLO - 01
SERRALHEIRO DE ALUMINIO - 01
TÉCNICO DE CONTABILIDADE - 01
VENDEDOR PRACISTA - 02

Projeto Sindicultura volta a Patos na sua edição 2015

Publicado em Paraíba
Sexta, 10 Julho 2015 16:18

 

A Concha Acústica Nilson Batista será mais uma vez palco do intercâmbio de artistas proposto pelo o Projeto Sindicultura, que volta a Patos no dia 17 de julho. O Projeto que recebe o apoio da Secretaria Municipal de Cultura, Turismo e Esportes, ASTRAL e Coletivo Espinho Branco segue com a programação até mês de novembro.

Segundo o Secretário de Cultura, Turismo e Esportes, Wandecy Medeiros na edição 2015 do projeto Sindicultura, os patoenses serão prestigiados com uma programação recheada de cultura, com muita música, teatro e humor. “Na próxima sexta-feira, 17, estará se apresentando Chico Correa & Eletronic Band, um projeto musical que envolve vários ritmos e contamos com a presença da população para participarem deste momento”, disse.

Wandecy Medeiros ainda ressalta importância da Concha Acústica, Nilson Batista, para a realização de grandes eventos culturais no município. “A Concha Acústica a cada dia vem se tornando um equipamento cultural de grande destaque para nossa cidade. E estamos trabalhando para que cada vez mais possamos eventos de grande relevância para a nossa cultura assim, atraindo diversos públicos”, destacou.

O Sindicultura é um projeto do Sindifisco-PB que tem como finalidade propiciar mais opções de lazer ao público paraibano, além de valorizar os artistas e a produção cultural locais. Levando grande parte das atrações à praça, o projeto facilita e atrai o público para conferir espetáculos dos mais diferentes estilos, passando pela música instrumental, MPB, teatro (adulto e infantil) e humor.

Segue a Programação:
17 de julho: Chico Correa & Eletronic Band
LOCAL: Concha Acústica Nilson Batista
21 de agosto: Atração Musical Fino Soul
LOCAL: Concha Acústica Nilson Batista
25 de setembro: Peça Teatral "A Feia de Caruaru”
LOCAL: Concha Acústica Nilson Batista
23 de outubro: Atração Musical "Nação Nativa”
LOCAL: Praça Getúlio Vargas
13 de novembro: Atração Humorística Pescocinho da Paraíba
LOCAL: Concha Acústica Nilson Batista.

‘Eu Faço Cultura’ promove dia de diversão e arte no Geisel

Publicado em Paraíba
Domingo, 12 Julho 2015 23:18

 

Oficinas culturais, brincadeiras, atrações musicais e espetáculos de palhaços movimentaram o dia de sábado (11), com o projeto Eu Faço Cultura, realizado no bairro do Geisel. A 14ª edição do projeto, inédito em João Pessoa, teve o patrocínio da Caixa Seguros e apoio da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope).

Seis modalidades de oficina estiveram à disposição do público (circo, percussão, artes plásticas, dança, fotografia e rua brincante), cada uma com direito a certificado de participação. A programação aconteceu das 9h às 19h30, na Rua Tabelião José Souto Lima, no Campo Celeste.

Uma das tendas mais procuradas, a de oficinas de artes plásticas, ensinava os pequenos a fazer brinquedos e tirar som de materiais reciclados, como garrafas pet, válvulas de pneu e palitinhos. “Como sou apaixonada por cultura, acho o máximo oficinas em que se possa treinar a criança a construir o seu próprio brinquedo. Tira-as do foco do estímulo eletrônico e as ajuda a brincar em conjunto”, aponta a diarista Amanda Luiz, mãe de Maria Flor, de 8 anos.

Jogos e brincadeiras de rua, como pega-pega, dança das cadeiras, amarelinha, bambolê, elástico e pula-corda divertiram a garotada. No palco a alegria ficou por conta das companhias Palhaços Heróis, com “Os Palhaços Heróis em Palhaçadas e Brincadeiras” e a brasiliense Las Fenómenas, com a peça “Astras de Circo”.

“A pretensão do projeto é levar esses serviços às comunidades onde a cultura é um bem raro e o acesso à arte, mais difícil”, explica Natascha Brayner, diretora da Federação Nacional dos Empregados da Caixa Econômica Federal (Fenae). “É importante ter iniciativas assim, descentralizando a cultura para espaços que não a praia ou o Centro Histórico de João Pessoa”, elogiou o guitarrista Zé Filho, que abriu a programação musical.

Projeto - O Eu Faço Cultura é um projeto cultural financiado com recursos da Lei Rouanet, a principal lei de incentivo de renúncia fiscal de âmbito federal. Já engajou mais de 30 mil empregados da CEF, que doam voluntariamente ao projeto. Passou por 70 cidades em nove anos de existência, 13 só em 2014. Agora o projeto segue para mais duas: Estrutural (DF) e Salvador (BA).

Governo prepara Dia de Campo sobre algodão colorido e artesanato

Publicado em Paraíba
Segunda, 13 Julho 2015 14:29

 

Agricultores familiares da região do Vale do Paraíba terão oportunidade de participar e conhecer as tecnologias de produção de algodão colorido e de artesanato, durante Dia de Campo que o Governo do Estado vai realizar no município de Salgado de São Félix, por meio da Gestão Unificada Emater/Emepa/Interpa (GU), vinculada à Secretaria do Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca, em data a ser marcada. Algodão colorido e artesanato são setores produtivos que se constituem mais uma atividade produtiva.

Na semana passada, os assessores estaduais da Emater-PB, Joacy dos Santos, Gláucia Gusmão e Pedro Paulo, com acompanhamento técnico de Fábio Sousa, estiveram no Assentamento Fazenda Campos, em Salgado de São Félix, para uma visita técnica a uma plantação de algodão colorido do agricultor João Lourenço e às artesãs locais para as devidas orientações.

A realização do Dia de Campo faz parte de um planejamento visando a revitalização do algodão colorido agroecológico e a valorização do artesanato enquanto atividade geradora de renda, que vem sendo estimulada pelo Governo do Estado, por meio Gestão Unificada e Embrapa Algodão, junto aos agricultores familiares interessados na retomada da cultura. A certeza de ter mercado garantido para a compra da produção tem deixado os plantadores animados.

Segundo o assessor estadual Joacy dos Santos, o Dia de Campo que terá como tema o algodão colorido e o artesanato contribuirá de forma significativa para a reativação da cadeia produtiva desta cultura e a melhoria da renda das famílias. A iniciativa conta com a parceria da Embrapa Algodão, prefeitura municipal e outros parceiros.

 

Frio e silêncio em mostra fotográfica de Joel Veiga no Casarão 34

Publicado em Paraíba
Terça, 14 Julho 2015 16:47

 

O fotógrafo Joel Veiga abre nesta quinta-feira (16), às 19h, a exposição “Meridianos”, uma coleção de 16 fotografias em preto e branco de belas paisagens gélidas da Islândia, captadas durante um curto período de tempo que ele passou na Escandinávia invernal, este ano. O acervo vai ficar em cartaz no Casarão 34 (na Praça Dom Adauto) até 28 de agosto, com entrada gratuita.

3ba662c3-010f-4f7b-bc8f-9234c429b5c8

“Meridianos” revela uma realidade diametralmente oposta à da ensolarada João Pessoa natal, com temperaturas que batiam nos -25 ºC, manhãs que chegavam apenas às 11h e frequentes auroras boreais, todas resultando em imagens que parecem contrapor dois mundos divididos por Hemisférios. Também significa, para o artista de 29 anos, o encontro profissional com o espiritual que as baixas temperaturas simbolizam.

“Como vivi toda a minha infância e adolescência na Paraíba, apenas desenvolvi uma ideia do que seria o frio. Quando saí para morar no Nordeste norte-americano, aí sim, passei a vivê-lo. Junto à temperatura, pude ter o silêncio - por isso, para mim, estes dois elementos não se dissociam, constituem uma condição de sentido territorial da vida”, reflete.

“As fotografias de Joel Veiga são, em sentido amplo, autorreferentes. Seus anseios e questionamentos acerca das coisas da vida, do mundo, do tempo e dos ambientes que o circundam estão postos nas imagens sob os mais diversos ângulos nada (ou quase nada) harmoniosos, em razão dos cortes fora de enquadramento. Por isso que algumas fotografias dessa série provocam um certo desconforto no espectador logo ao primeiro instante”, pontua Valquíria Farias, diretora do Casarão.

Para Veiga, o silêncio encontrado no frio torna visível o “sentido territorial da vida”, sua amplitude, assim como impermanência. Em “Meridianos”, os reflexos estão na ausência e na distância: das coisas, dos fatos cotidianos, da desnecessidade de falas e informações em excesso e da própria diluição do tempo. “Gostaria que as pessoas pudessem sentir o silêncio do mundo e, quem sabe, sentir o meu silêncio nessas fotografias”, espera.

1f80ab25-72d6-48ae-b4c7-f1f168c87ebeJoel Veiga - É fotógrafo brasileiro, nascido em João Pessoa em 1985. Cursou Artes Visuais na Faap e Fotografia na Aeso (Faculdades Integradas Barros de Melo), em São Paulo. Exposições individuais: [entre], na Galeria Amî, São Paulo; “Absentia”, no Festival Fotocita de Córdoba, Argentina, 2014; nas sedes da Energisa, na Paraíba (João Pessoa, Patos e Campina Grande), no projeto Arte na Empresa, 2014; e Mostra “Coletiva 4”, na Usina Cultural Energisa, 2015.

Serviço:
Exposição fotográfica “Meridianos”- Joel Veiga
Local: Casarão 34 (Praça Dom Adauto, Centro Histórico)
Abertura: quinta, 16 de julho, às 19h
Em cartaz: até 28 de agosto, das 9h às 17h

bannermarcelo0000

Compartilhe nas Redes Sociais!

Temos 266 visitantes e Nenhum membro online

Telefones Úteis

Energisa - (83) 2106-7000
Ultragás - (83) 3292-2217
Audicon - (83) 3246-0599
Cagepa - 115
GVT - 10325
NET - 10621
SKY - 10611
Tely - (83) 3049-4229
Polícia - 190
Bombeiros - 193
SAMU - 192
(83) 3216-2500
Dele.da Mulher
(83) 3218-5316

Entre em Contato

 

Av. Senador Ruy Carneiro, 636 sl 201

Manaíra, João Pessoa, Paraíba, Brasil

Tel: (83) 3021-8885 - Cel: (83) 98725-1693

Email: redacao@24horaspb.com

Website: http://www.24horaspb.com

JoomShaper