Chip AMD: desempenho de Core i9 por metade do preço

Publicado em Tecnologia
Segunda, 27 Maio 2019 22:05

O Ryzen 9 3900X custa US$ 499; o Intel Core i9 9920X sai por US$ 1189

A fabricante AMD inaugurou nesta segunda-feira (27/05) a Computex 2019, uma das maiores feiras de hardware de computador do mundo, com o anúncio de uma nova geração de processadores para desktop com valor mais acessível. É uma ótima notícia para usuários de notebooks, mas não para a Intel, que oferece tecnologia em preços mais altos do que a rival.

Foram anunciados cinco processadores da 3ª geração para desktop: Ryzen 9 3900X, Ryzen 7 3800X, Ryzen 7 3700X, Ryzen 5 3600X, Ryzen 5 3600. Deles, o chip mais impressionante é o Ryzen 9 3900X, equipado com 12 núcleos e 24 threads, com velocidade base de 3,8 GHz, podendo acelerar para 4,6 GHz, e 70 MB de memória cache.

Ele promete desempenho semelhante ao Core i9 9920X da Intel por menos da metade do preço. Enquanto o Ryzen 9 3900X custa US$ 499, o Intel Core i9 9920X sai por US$ 1189. Comparando o máximo de energia dissipada pelo processador, o Ryzen é até mais eficiente que o Intel Core equivalenete: 105 W do primeiro contra os 165 W do último.

A terceira geração dos processadores AMD Ryzen é fabricada com processo de 7 nanômetros, o que aumenta a velocidade de processamento de dados, tem memória cache maior e vem com novos núcleos com arquitetura Zen 2. Com a tecnologia, os núcleos lidam até com 15% a mais de instruções por ciclo ao quadrado do que a arquitetura anterior, alcançando o dobro do desempenho do mecanismo em ponto flutuante.

Os novos chips da AMD estarão disponíveis em lojas dos Estados Unidos a partir de 7 de julho. A empresa não revelou previsão de lançamentos e preços dos processadores para outros países.

 

Base de Alcântara: novo texto de acordo está no Congresso

Publicado em Tecnologia
Segunda, 27 Maio 2019 22:11

Acordo de Salvaguardas Tecnológicas será apreciado por parlamentares

O Governo Federal encaminhou ao Congresso Nacional na última sexta-feira (24/05) o texto do Acordo entre o Brasil e o Governo dos Estados Unidos sobre a Base de Alcântara, localizada no Maranhão. O Acordo de Salvaguardas Tecnológicas (AST) foi assinado em Washington março deste ano, em visita oficial do presidente da República, Jair Bolsonaro ao presidente americano, Donald Trump.

O Acordo é um instrumento estabelecido entre dois países, em que estes se comprometem a proteger as tecnologias das partes. Além de uma declaração de confiança, é uma condição obrigatória para o uso do Centro Espacial de Alcântara (CEA) como base de lançamento de objetos espaciais.

O Congresso Nacional vai analisar e votar o Acordo. Com a aprovação desta iniciativa, o Brasil se tornará uma potência econômica, política e social, gerando conhecimento, recursos e riquezas para a região de Alcântara e para a Nação.

O Presidente da Agência Espacial Brasileira (AEB), Carlos Moura aposta em uma discussão positiva do texto no Parlamento brasileiro. “Com pontos esclarecidos, o Congresso acolherá o Acordo para Alcântara deslanchar”.

O Centro Espacial de Alcântara é conhecido como a “janela brasileira para o Espaço”, e pode transformar-se no principal centro de lançamento do Hemisfério Sul.

Para Paulo Vasconcelos, diretor de Transporte Espacial e Licenciamento da AEB, “O Acordo de Salvaguardas é essencial para viabilizar a comercialização de atividades espaciais no Centro de Lançamento de Alcântara, uma vez que uma parcela muito grande de componentes utilizados pelo Setor tem origem nos EUA, assim, este Acordo permite que qualquer interessado possa operar a partir do CLA, atendendo às regras de licenciamento e lançamento, tendo seus segredos industriais preservados”.

O Acordo de Salvaguardas Tecnológicas é norteado para fins pacíficos, no qual os Estados Unidos da América autorizam o Brasil a realizar lançamentos de foguetes e espaçonaves, visando o desenvolvimento econômico e social do país, trazendo oportunidades de avanços científicos e tecnológicos.

Amazon vacila e vende celular Moto Z4 antes de lançamento

Publicado em Tecnologia
Terça, 28 Maio 2019 20:12

Comprador já recebeu o aparelho em casa e até publicou um vídeo de unboxing

Ok, já vimos muitas fotos de smartphones serem vazadas antes do lançamento. Mas o vazamento do smartphone em si é um pouco demais.

Sem querer, a Amazon dos Estados Unidos ofereceu brevemente em seu site o Moto Z4, aparelho que nem foi oficialmente anunciado. É claro que alguém comprou. E o dono já recebeu o aparelho em casa e até publicou um vídeo de unboxing.

A página do Moto Z4 foi derrubada em poucos minutos, mas uma versão em cache mostra todas as especificações do aparelho.

Força aérea americana mostra OVNI a 9.000 m de altitude

Publicado em Tecnologia
Terça, 28 Maio 2019 20:19

Objeto acelerava, desacelerava e alcançava velocidades supersônicas

Acredite você ou não em vida alienígena, os OVNIs existem. A sigla, no entanto, não tem necessariamente vínculos com seres extraterrestres, e sim com algum objeto voador que não pode ser devidamente identificado no momento em que foi avistado. Ainda assim, os relatos costumam ser bastante interessantes, como percebeu o New York Times, que coletou depoimentos de cinco pilotos das forças aéreas dos EUA sobre avistamentos.

Dos cinco entrevistados, apenas dois falaram sem pedir anonimato. O mais interessante da publicação é um vídeo registrado em 2015, que mostra com clareza um objeto voando a velocidades altíssimas, em uma altitude de mais de 9.000 metros.

O objeto em questão jamais foi identificado, mas o vídeo abaixo mostra a situação curiosa. Não há qualquer tipo de motor visível ou qualquer rastro do exaustor captado por sensores infravermelhos. Mesmo assim o objeto acelerava, desacelerava e alcançava velocidades supersônicas.

O vídeo mostra com clareza a confusão dos pilotos na ocasião. “Uau, o que é isso, cara?”, é uma das frases de surpresa exclamadas durante o vídeo, entre um ou outro palavrão diante do objeto desconhecido.

As forças aéreas dos EUA parecem estar tentando esse tipo de avistamento mais a sério, e chegou a definir novas regras para que seus membros reportem esse tipo de encontro com objetos não identificados.

Estudo: chave para a vida na Terra pode estar na Lua

Publicado em Tecnologia
Quarta, 29 Maio 2019 11:39

Colisão de planetas que formou nosso satélite natural deixou na Terra um conjunto de elementos cruciais para o surgimento de toda a vida no planeta

Cientistas de Universidade Rice (EUA) afirmam que a colisão que originou a Lua tornou a vida possível na Terra. Há 4,4 bilhões de anos, um planeta do tamanho de Marte teria se chocado com a Terra, espalhando no espaço inúmeras rochas que depois formaram o nosso satélite.

Os pesquisadores consideram que o impacto, além de criar a lua , transferiu desse planeta elementos essenciais, como a maior parte do carbono e do nitrogênio presentes em nossos corpos, para a superfície terrestre.

Segundo o estudo , publicado em janeiro na revista 'Science Advances', os cientistas chegaram a essa conclusão após realizarem experimentos sobre reações geoquímicas sob as altas temperaturas e pressões encontradas no interior de um planeta . Eles queriam entender se a Terra adquiriu esses elementos-chave de meteoritos que atingiram a Terra ou de algum outro corpo.

Pesquisadores creem ser possível recriar dinossauros

Publicado em Tecnologia
Quarta, 29 Maio 2019 12:17

Cientistas acreditam na recriação de dinossauros a partir de genes de galinhas

Em franquias do cinema, o sonho de recriar dinossauros foi realizado. E na realidade? Os animais são o assunto do bate-papo do Conversa Com Bial de terça-feira (28/05), com os paleontólogos Aline Ghilardi, Carlos Roberto Candeiro e Rodolfo Nogueira - também paleoartista. Para Aline, a chance de existirem novamente dinossauros no planeta não é impossível, mas eles seriam criados de forma diferente a que aparece nos filmes.

“Essa foi a ideia do Jack Horner: usar a engenharia genética reversa. Os genes dos dinossauros, que revelam algumas características, estão só adormecidos.”

Horner, um paleontólogo norte-americano, estudou a possibilidade de reativar os genes em galinhas para recriar os dinossauros. Estudos com o método já conseguiram recriar embriões de galinhas com dentes e reverter penas para escamas.

“A gente não está muito longe de criar algo que pareça de um dinossauro.”

Segundo a estudiosa, nem todos os dinossauros foram extintos e os seus descendentes, as aves, vivem entre nós.

“Continuam muito bem-sucedidos depois de tanto tempo. Nem o meteoro conseguiu dar cabo deles.”

O que é a paleontologia?

No programa, Aline ainda explicou o que exatamente é paleontologia.

“A explicação está no próprio nome: paleonto significa ser antigo, e logia é estudo. Então, nada mais é do que o estudo dos seres que viveram muito tempo atrás, incluindo os dinossauros.”

E a paleontóloga explicou que a ciência é muito importante para a sociedade.

“A paleontologia ajuda a achar recursos naturais, que são utilizados pela sociedade moderna, como petróleo, gás e carvão mineral.”

Dinossauros brasileiros

O norte-americano Stephen Brusatte entrou no bate-papo através de uma videoconferência. O paleontólogo falou do trabalho em Goiás e as descobertas feitas sobre a origem dos dinossauros.

"Estamos aprendendo muito mais sobre os dinossauros atualmente. Nunca encontramos tantos dinossauros como agora, uma espécie nova por semana. E muitos são do Brasil, o que é incrível! Alguns dos dinossauros mais antigos são do Brasil. Alguns dos últimos dinossauros sobreviventes que viveram pouco antes do asteroide são do Brasil. E todos esses dinossauros agora contam a história da evolução dos dinossauros. E acho que é uma história incrível de mais de 150 milhões de anos."

“Talvez os primeiros dinossauros tenha sido criados no Brasil.”

O estudioso ainda alertou sobre a possibilidade de estarmos passando por um novo período de extinção em massa.

“O mundo está mudando muito rápido, o clima está mudando muito rápido. É muito claro que o mundo está aquecendo e que ecossistemas importantes estão sendo afetados. Muitas espécies estão morrendo agora e muito rápido. Pode ser que estejamos no meio de uma extinção em massa. E, se for verdade, será a primeira extinção em massa desde os dinossauros, há 66 milhões de anos.”

Paleoarte

Rodolfo Nogueira se juntou à conversa e explicou como funciona o trabalho de paleoartista.

“A paleoarte é a tradutora das informações da ciência para uma imagem mais fácil de ser entendida.”

“A gente transcende um pouco da imagem. A gente pode pensar em som, movimento, toque, cheiro.”

O que a paleontologia ensina?

Pedro Bial quis saber qual o ensinamento que a paleontologia traz para a sociedade como um todo.

“A paleontologia traz uma lição de humildade. É olhando para o tempo profundo que a gente vê que a vida vem, ela se diversifica e ela é ceifada muitas vezes da história do planeta”, contou Aline.

“Muitas dessas vezes foram por causas de mudanças no clima do planeta e hoje a gente vive uma dessas grandes mudanças. Se a gente não se atentar para isso, vai ter o destino que muitas outras espécies, que existem somente na memória do planeta através de fósseis.”

Motorola apresenta a nova geração do Moto Z; confira

Publicado em Tecnologia
Quinta, 30 Maio 2019 18:44

O novo smartphone da Motorola ressuscitou a entrada para fone de ouvido

A Motorola revelou oficialmente o Moto Z4, o que já era esperado após uma unidade do aparelho ter sido vendida por meio da Amazon antes do anúncio. O novo dispositivo tem bateria com duração de 2 dias, câmeras atualizadas, sensor de impressão digital na tela e conectividade 5G por meio de um Moto Snap dedicado.

O Moto Z4 chegará às lojas oficialmente no dia 6 de junho. Embora este seja o dispositivo mais o sofisticado do ano da Motorola, pelo menos até o momento, ainda é um aparelho intermediário no papel. O dispositivo é alimentado por um processador Snapdragon 675, 4GB de RAM e 128GB de armazenamento (com entrada para microSD).

As novidades do aparelho começam pela tela. O Moto Z3 tinha um display de 6 polegadas, o Moto Z4 deu um salto para um painel OLED com proporção 19:9 com resolução Full HD+ (2340 x 1080) concentradas em uma tela de 6,4 polegadas, que ocupa 85% do painel frontal graças a um entalhe waterdrop. Esse monitor também possui um sensor de impressão digital embutido na tela e é revestido em Gorilla Glass 3.

Reprodução

A Motorola também ampliou a vida útil da bateria do Moto Z4, com a promessa de dois dias de uso com uma recarga. Isso graças à uma bateria de 3.600 mAh e à tela e ao processador com menos consumo de energia. Para recarregar a bateria, há um USB-C de 15 W, mas nenhum carregamento sem fio nativo.

A empresa trouxe de volta o conector de fone de ouvido de 3,5 mm no Moto Z4 — depois de deixá-lo fora do Moto Z, Moto Z2 e Moto Z3. A volta da entrada indica que a empresa reorganizou seu line-up; no passado, o Moto Z Play era o aparelho intermediário com entrada para fones de ouvido, mas ele não parece ter substituído pelo Moto Z.

Reprodução

Quanto às câmeras, o Z4 tem um único sensor fotográfico de 48MP em sua traseira — a única câmera da região. No entanto, a captura imagens é de 12MP por padrão, como fazem muitos outros aparelhos. Há um novo modo “Night Vision”, que usa vários quadros para melhorar o desempenho com pouca luz. Na parte frontal, há uma câmera de selfie de 25MP com um modo que oferece melhores fotos em ambientes pouco iluminados.

A Motorola vai abrir as vendas para o Moto Z4 em 6 de junho nos Estados Unidos. A pré-venda, no entanto começou já nesta quinta-feira, 30, com o preço sugerido de US$ 500.

Embraer e Weg unem forças para produzir avião elétrico

Publicado em Tecnologia
Quinta, 30 Maio 2019 18:50

Empresas buscam produção científica e redução da emissão de carbono

A Embraer e a fabricante de motores Weg anunciaram na quarta-feira (29/05) uma parceria para o desenvolvimento de aeronaves elétricas. Neste primeiro momento, as empresas vão unir esforços para produzir mais conhecimento científico sobre a aplicação da tecnologia no setor aeronáutico.

O primeiro teste de decolagem com uma aeronave movida a eletricidade deve acontecer em 2020, segundo o Diretor Superintendente da WEG Manfred Peter Johann. O sistema elétrico irá equipar inicialmente o avião Ipanema, máquina popular no agronegócio para aplicação de agrotóxicos.

Os estudos serão primeiro realizados em laboratório e depois será criada uma plataforma para simular uma operação real. O trabalho em torno do sistema elétrico deve ser feito nas fábricas da Embraer, em São José dos Campos (SP), e nas da WEG, em Jaraguá do Sul (SC).

Ao acelerar a produção científica da tecnologia, as empresas têm como objetivo encontrar uma alternativa sustentável à combustão dos motores de aeronaves para reduzir a emissão de carbono no meio ambiente.

As pesquisas na área, no entanto, ainda estão em estágio inicial. Segundo especialistas, levar eletricidade motora para um aviação comercial vai custar bem mais tempo, estudo e investimento do que para o setor automobilístico. Mesmo a tecnologia de carros elétricos ainda não alcançou consistência e proporção massiva para substituir veículos à combustão. Por isso, fabricantes de aviões, máquina que gasta muito mais energia para ter potência de voo, ainda têm um longo caminho a percorrer até que a eletrização do setor se torne viável e segura.

Ainda assim, a tecnologia deve crescer no futuro. A aposta cada vez maior de tornar carros elétricos uma realidade comum deve se refletir na aeronáutica, devido às pressões governamentais e sociais para que empreas diminuiam a poluição do meio ambiente. O alto custo do querosene para companhias aéreas também é um fator que empurra o setor para a eletricidade.

O acordo entre as companhias ocorre dois anos depois da Embraer firmar outra parceria para o desenvolvimento de tecnologia elétrica. A empresa se associou com a Uber para a criação de 'carros voadores' em 2017; operação experimental com o primeiro modelo deve acontecer também em 2020.

Youtuber que humilhou mendigo pega 15 meses de prisão

Publicado em Tecnologia
Sexta, 31 Maio 2019 16:30

ReSet fez morador de rua comer bolachas recheadas com pasta de dente, enquanto gravava tudo

Em 2017, ReSet, então um popular youtuber espanhol, achou que seria uma boa ideia fazer um vídeo em que oferecia uma nota de 20 euros a um mendigo, além de oferecer bolachas rechedas Oreo a ele. No entanto, o recheio do biscoito era formado por pasta de dentes e o influenciador gravou todo o processo, enquanto o morador de rua comia o alimento. No final, ele postou tudo no YouTube e o volume de acessos lhe gerou uma receita de dois mil euro. Só que a Justiça espanhola não achou isso nada engraçado.

Com isso, dois anos e meio mais tarde, um juizado penal na cidade de Barcelona (na foto acima) condenou o jovem a uma pena de 15 meses de prisão, além de obrigar ReSet a pagar uma indenização de 20 mil euros (pouco menos de R$ 88 mil) por danos morais à vítima. Para completar, o youtuber deverá apagar seu canal da plataforma e não poderá acessar a plataforma ou criar novos vídeos nos próximos cinco anos.

Durante o julgamento, ReSet - cujo nome real é Kanghua Ren - declarou que tudo não passava de uma brincadeira e que sua intenção "não era ofender". Ele também disse que deixou a escola para se dedicar ao YouTube e que estava indo bem - seu canal acumulou 120 milhões de visualizações antes do escândalo.

O influenciador também disse ao promotor de justiça do caso que ele era um "rapaz sério" e que o caso estava sendo seguido muito "ao pé da letra da lei". No vídeo do crime, agora retirado do YouTube, ReSet alertou seus fãs: "Talvez eu tenha gasto mais tempo do que imaginei, mas olhe pelo lado positivo: isso ajudará você a limpar seus dentes. Eu não acho que ele tenha limpado eles desde que ele se tornou pobre".

Lotus vai lançar seu 1º carro elétrico no dia 16 de junho

Publicado em Tecnologia
Sexta, 31 Maio 2019 16:38

O ainda misterioso Type 130 será fabricando em edição limitada: apenas 130 exemplares

Em abril, a Lotus anunciou ao mundo que lançaria um hipercarro elétrico até o final do ano. Agora, a novidade da lendária fabricante de carros esportivos deve ser exibida em "um evento exclusivo", no centro de Londres, no próximo dia 16 de julho.

Até o momento, pouco se sabe sobre o carro, a não ser o seu nome: Type 130. A Lotus ainda não forneceu nenhuma especificação, mas informou que o veículo seria construído em sua sede, na cidade de Norfolk, na Inglaterra. A montadora afirma que "várias centenas" de pessoas apareceram após o anúncio inicial em Xangai para expressar seu interesse no carro, o que significa que haverá muitos corações partidos por aí - a Lotus está limitando o Type 130 a apenas 130 exemplares.

Além da imagem de teaser que publicou essa semana, a Lotus também lançou um pequeno vídeo, nos dando algumas dicas sobre o que esperar. Ao contrário da maioria dos EVs, parece que as portas de carregamento estão localizadas entre as lanternas traseiras e o emblema da marca também se acende.

Outros detalhes interessantes incluem um sistema de visão traseira da câmera, que usará pods destacáveis, que saem das portas de abertura e que transmitem imagens para os displays dentro do carro. É um sistema muito parecido com o que o próximo McLaren Speedtail terá.

Confira o vídeo com as poucas pistas sobre o bólido:


logo Bright_580

art bright100001

Compartilhe nas Redes Sociais!

Temos 426 visitantes e Nenhum membro online

Telefones Úteis

Energisa - (83) 2106-7000
Ultragás - (83) 3292-2217
Audicon - (83) 3246-0599
Cagepa - 115
GVT - 10325
NET - 10621
SKY - 10611
Tely - (83) 3049-4229
Polícia - 190
Bombeiros - 193
SAMU - 192
(83) 3216-2500
Dele.da Mulher
(83) 3218-5316

Entre em Contato

 

Av. Senador Ruy Carneiro, 636 sl 201

Manaíra, João Pessoa, Paraíba, Brasil

Tel: (83) 3021-8885 - Cel: (83) 98725-1693

Email: redacao@24horaspb.com

Website: http://www.24horaspb.com

JoomShaper