PROFESSORES EM GREVE DA UFCG REALIZARÃO ATO PÚBLICO PARA COBRAR INFORMAÇÕES SOBRE CORTES ORÇAMENTÁRIOS

Publicado em Paraíba
Quarta, 15 Julho 2015 13:58

 

 

Os professores, estudantes e técnico-administrativos em greve da UFCG realizarão amanhã (15/07), a partir das 8h, um ato público em frente à Reitoria da instituição, em Campina Grande, com o objetivo de cobrar do reitor Edilson Amorim informações precisas sobre o impacto dos cortes do Governo Federal no orçamento da instituição. Os cortes já acarretaram perdas de mais de R$ 1,5 milhão na área de pós-graduação da universidade.

imagesOs dados já foram solicitados pela Associação dos docentes da UFCG – ADUFCG há semanas, mas até agora não foram liberados. As informações solicitados mostrarão o impacto dos cortes do Governo Federal nos recursos que serão disponibilizados para a universidade em 2015 e deixarão explicito a crise financeira para a sua manutenção.

Na semana passada, A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) informou a UFCG que 75% dos recursos destinados a pós-graduação da instituição foram incluídos no corte orçamentário aplicado pelo Governo Federal na área de educação. O corte praticamente inviabiliza o funcionamento da pós-graduação na UFCG, pois retira mais de R$ 1,5 milhão e deixa apenas cerca de R$ 500 mil quando só no primeiro semestre já foram consumidos mais de R$ 400 mil.

Após o ato público, os professores, técnicos e estudantes em greve participarão da reunião da Câmara Superior de Pós-Graduação, que ocorrerá a partir das 9h, no prédio da Reitoria, onde serão também discutidos os cortes orçamentários do setor.

Dia Nacional
Na quinta-feira pela manhã, a partir das 9h, o Comando Local de Greve da ADUFCG realizará com outras entidades sindicais de servidores públicos federais um ato público, na Praça da Bandeira, em Campina Grande, no Dia Nacional contra os Cortes e pelo Investimento na Educação Público.

Greve
A greve dos docentes da UFCG completará nesta quinta-feira (16/07) sua terceira semana seguida. O movimento integra a greve nacional da categoria, que foi deflagrada em 28 de junho pelo sindicato Nacional – ANDES-SN. Até o momento, o Governo Federal não apresentou aos professores respostas concretas para a pauta de reivindicações que inclui restruturação da carreira docente, valorização salarial para ativos e aposentados, índice de reposição de perdas de 27,3% para janeiro de 2016, defesa do caráter público das universidades, melhores condições de trabalho e ensino e garantia da autonomia universitária.

Roberto Santiago e Manaíra Shopping respondem ação penal

Publicado em Paraíba
Quinta, 16 Julho 2015 11:29

 

O empresário Roberto Santiago e o Manaíra Shopping estão respondendo ação penal no Juizado Especial Criminal de João Pessoa por crimes contra o meio ambiente. Mais especificamente, os crimes ambientais foram praticados contra o Rio Jaguaribe, através de aterramento ilegal em 2012, para expansão do estacionamento do Manaíra Shopping.

A ação criminal contra o empresário Roberto Santiago decorre de um inquérito policial instaurado em dezembro de 2013 por requisição do então promotor do Meio Ambiente, João Geraldo Carneiro Barbosa.

Apesar de fato antigo, somente agora, no próximo dia 16, o empresário Roberto Santiago deverá comparecer a audiência para responder sobre a acusação. A audiência está prevista para as 16 horas, no Fórum Criminal da Capital.

Denúncia da comunidade

A reclamação sobre crimes ambientais contra o Rio Jaguaribe chegou ao Ministério Público no início de novembro de 2012, através de documento assinado pela Comissão de Moradores do bairro São José. O documento informava às autoridades que, na calha do Rio Jaguaribe, por trás do Manaíra Shopping, naquele período, existia uma draga realizando trabalhos que provocavam danos à comunidade.

Perícia técnica comprova crimes

Os crimes ambientais e contra o patrimônio genético no Rio Jaguaribe foram comprovados em laudo técnico (Laudo nº 4074/2012) da Gerência Executiva de Criminalística do Instituto de Polícia Científica do Estado. A perícia foi requisitada pelo delegado José Guedes Sobrinho, que presidiu o inquérito.

A perita Luciana Torres Brito, após realizar exame do local e ainda com base em filmagens e fotografias, comprovou que a interferência humana no local (Rio Jaguaribe atrás do Manaíra Shopping) caracterizou crime ambiental na APP (Área de Proteção Permanente), com o aterramento das margens ciliares do Rio Jaguaribe, incluindo parte do mangue.
A perícia técnica constatou, segundo o relatório incluso no processo criminal contra o empresário Roberto Santiago, "a saída de canos que se encontravam dentro do estacionamento do Manaíra Shopping, provavelmente de esgotos, agravando ainda mais a poluição e o assoreamento do mesmo, levando a possíveis enchentes e deslizamentos imediatos, no caso da comunidade de baixa renda do outro lado da margem do rio". Trata-se do bairro São José.

Na investigação, a perícia também constatou rastros e vestígios das máquinas oriundos do estacionamento do Manaíra Shopping.

Com base na perícia, o então promotor Criminal da Comarca da Capital, José Guilherme Soares Lemos ofereceu denúncia à Justiça contra o empresário Roberto Santiago e a empresa administradora do Manaíra Shopping, a Portal Administradora de Bens Ltda.

De acordo com a denúncia, os crimes resultaram em soterramento de aproximadamente meio hectare da mata ciliar e aterro de trecho do próprio rio, além de poluição causada pelo despejo, através de canos, de resíduos poluentes.

Enquadramento

O empresário Roberto Santiago acabou indiciado como incurso no artigo 50, da Lei 9.605/98, que estabelece como crime a pratica de destruir ou danificar florestas nativas ou plantadas ou vegetação fixadora de dunas, protetora de mangues, objeto de especial preservação.
O processo criminal contra o empresário Roberto Santiago tramita no Juizado Especial Criminal desde dezembro de 2013 e ainda não foi julgado. Duas audiências foram marcadas no ano passado, uma em abril e a outra em julho, mas ambas deixaram de ser realizadas pelo não comparecimento do acusado. A nova audiência está marcada para o próximo dia 16, a partir das 16 horas.

Polícia prende trio suspeito de vários assaltos na zona sul de João Pessoa

Publicado em Paraíba
Sexta, 17 Julho 2015 12:27

 

A Polícia Militar, por meio do 5º Batalhão, prendeu na noite dessa quinta-feira (16) três suspeitos de praticar assaltos na zona sul de João Pessoa, utilizando um veículo Ford Ecosport vermelho nas ações. José Cláudio Eufrásio Policardio, de 26 anos, Wlademir Silva Cavalcante, 28, e Ederson Rodrigues Alves, 18 anos, foram presos após uma perseguição, no bairro de Mangabeira. Com eles, a PM apreendeu um revólver calibre 38.

IMG-20150717-WA0051IMG-20150717-WA0052

De acordo com o sargento Reriw Barbosa, responsável pela prisão, ao tentar fugir da abordagem policial, os suspeitos bateram em dois carros que estavam estacionados na Rua Comerciante Alfredo Ferreira da Rocha e só pararam quando colidiram de frente com um terceiro veículo, onde uma das passageiras era uma gestante. A vítima foi socorrida para o Hospital de Emergência e Traumas sem ferimentos graves.


IMG-20150717-WA0058Eles tinham praticado vários assaltos a pessoas na mesma noite, no bairro de Mangabeira. Os três foram apresentados no Distrito Integrado de Segurança Pública do bairro. Um dos integrantes, Wlademir Silva, foi vítima de uma tentativa de homicídio na tarde do último sábado (11), no bairro Dinamérica, em Campina Grande.

Reconhecidos - Segundo levantamentos realizados pela Polícia Militar, o trio é suspeito de roubar carros em João Pessoa e levá-los para Campina Grande e já foram reconhecidos pelo proprietário de uma Toyota Hylux que foi roubada na última sexta-feira (10), no bairro do Geisel, na capital, e encontrada no bairro do Tambor, na manhã do dia seguinte, em Campina Grande. Eles fizeram o assalto para roubar as rodas do carro, avaliadas em mais de R$ 10 mil.

Após semana chuvosa, precipitação diminui no litoral paraibano

Publicado em Paraíba
Segunda, 20 Julho 2015 12:29

 

Após uma semana de muitas chuvas, o Litoral paraibano pode esperar uma diminuição no índice de precipitações. A segunda-feira (20) começou com nebulosidade variável e chuvas esparsas na faixa leste do Estado e a previsão é que assim continue nesta terça-feira (21), de acordo com a Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa).

Variação de nuvens e chuvas esporádicas é a previsão para Litoral, Brejo e Agreste. Para a faixa oeste, no Cariri/Curimataú, Sertão e Alto Sertão, haverá apenas nebulosidade variável. As temperaturas mínimas e máximas serão assim em cada região: 22ºC e 29ºC no Litoral; 18ºC e 25ºC no Brejo; 18ºC e 26ºC no Agreste; 18ºC e 26ºC no Cariri/Curimataú; 21ºC e 32ºC no Sertão; e 20ºC e 31ºC no Alto Sertão.

Semana chuvosa – Segundo a meteorologista da Aesa, Marle Bandeira, a tendência de chuvas nesta época do ano deve-se aos ventos oceânicos em direção à Costa Leste, trazendo a umidade dos mares para o continente. Este é um dos motivos pelos quais o litoral paraibano presenciou fortes chuvas durante a última semana. Porém, segundo a técnica, o que mais se destacou durante o período chuvoso foram os fortes ventos, mais do que o índice pluviométrico.

“Em João Pessoa, as rajadas de ventos chegaram a 50km/h, consideradas fortes. Na Capital, o índice de chuvas foi de 44,8mm na última sexta-feira (17). Porém, o maior índice pluviométrico do Litoral pertence à cidade de Mataraca, onde choveu 88,4 mm nesse dia”, explicou Marle Bandeira.

A meteorologista ainda destacou as baixas temperaturas alcançadas na madrugada desta segunda-feira (20): Monteiro chegou a registrar 15,4ºC; a cidade de Areia marcou 17,2ºC, e Patos e Cajazeiras chegaram a 20,4 ºC e 20,8ºC, respectivamente, temperaturas consideradas muito baixas, em se tratando de Sertão e Alto Sertão.

Primeira-dama em exercício visita Condomínio Cidade Madura em Campina Grande

Publicado em Paraíba
Terça, 21 Julho 2015 11:55

 

A primeira-dama em exercício, Eliane Galdino, visitou, nesta segunda-feira (20), idosos residentes no Condomínio Cidade Madura, de Campina Grande. Acompanhada da presidente da Companhia Paraibana de Habitação Popular (Cehap), Emília Correia Lima, a primeira-dama conheceu de perto os moradores, o posto médico, a horta comunitária, o redário e o espaço para convivência social do condomínio.

O projeto Cidade Madura de Campina Grande foi inaugurado em maio deste ano e é destinado exclusivamente para pessoas idosas. Trata-se de uma obra com 40 unidades residenciais, com 54 metros quadrados de área cada, onde o Governo investiu mais de R$ 4 milhões em recursos do Tesouro Estadual e do Fundo de Combate e Erradicação da Pobreza (Funcep). Recentemente, o Governo do Estado recebeu o prêmio Selo de Mérito 2015 pelo projeto.

Em visita ao Posto Médico do condomínio, Eliane Galdino conferiu de perto o atendimento prestado pelos profissionais de saúde que estavam de plantão. “Estou encantada com o nível de cuidado que os moradores recebem neste espaço. É mesmo uma iniciativa que precisa ser replicada em outras cidades do Estado”, avaliou a primeira-dama em exercício.

As casas foram adaptadas às necessidades de mobilidade das pessoas idosas e os arquitetos se preocuparam em oferecer uma ambientação adequada. Diariamente, o Governo do Estado também garante a segurança para os moradores, além da realização de atividades culturais e de lazer em um espaço que mistura o silêncio da natureza com uma linda paisagem natural.

O primeiro Cidade Madura foi inaugurado em João Pessoa, o segundo em Campina Grande e o terceiro já está sendo construído no município de Cajazeiras e deverá ser entregue no segundo semestre deste ano. O Governo do Estado contemplará ainda os municípios de Patos, Sousa e Guarabira com o programa.

Governo do Estado realiza leilão de caprinos em Soledade neste sábado

Publicado em Paraíba
Terça, 21 Julho 2015 13:13

 

O Governo do Estado vai realizar leilão de 83 animais caprinos e ovinos distribuídos em 64 lotes, por meio da Gestão Unificada Emater-Emepa-Interpa (GU), vinculada à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca. O leilão acontece neste sábado (25), às 10h, na Estação Experimental de Pendência, em Soledade, dando oportunidade para que os criadores possam acessar o melhor da genética das raças Savana, Boer, Parda Suíça, Anglo Nubiana, Alpina Britânic, Saanen, Dorper e Dâmara, visando melhorar o plantel da caprinovinocultura no semiárido paraibano.

Para esta edição do leilão, organizado pela Emepa, foram selecionados animais das raças caprinas Saanen (dois machos) e Bristich Alpine (dois machos), oriundos de embrião da África do Sul, com aptidão para leite. Dois machos da raça Alpina e dois machos e sete fêmeas da raça Savana, com aptidão para leite também serão leiloados, além de onze machos e onze fêmeas da raça Boer, com aptidão para carne.

Ainda serão oferecidos animais ovinos das raças Dâmara, com seis machos, de boa rusticidade, oriundos de embrião da África do Sul, 12 fêmeas Santa Inês e mais 26 animais machos e fêmeas da raça Dorper.

Bovinos – A Emepa também está preparando dois leilões de bovinos das raças Gir, Guzerá e Sindi, que acontecerão até o mês de setembro nas estações experimentais de Umbuzeiro e Alagoinha. Todos estarão disponíveis para os criadores que desejam melhorar seu plantel.

O presidente da GU, Nivaldo Magalhães, lembrou que o Programa de Melhoramento Genético, em parceria com a Embrapa, está contribuindo para o melhoramento do rebanho bovino da Paraíba. Todo o trabalho tem o acompanhamento do técnico da Emepa, Manoel Duré.

TCE julga improcedente denúncia atinente ao Shopping Intermares

Publicado em Paraíba
Quarta, 22 Julho 2015 15:59

 

 

O Tribunal de Contas da Paraíba revogou, por unanimidade, nesta quarta-feira (22), a medida cautelar que suspendia a licença ambiental para a construção do Shopping Intermares e julgou improcedente a denúncia feita acerca da questão pela Associação de Proteção Ambiental (Apam).

A decisão, “haja vista os esclarecimentos colecionados aos autos” foi tomada conforme parecer do Ministério Público de Contas e o entendimento do conselheiro Fernando Catão, relator do processo.

Eis, na íntegra, o voto do relator:
No relato, destaquei os diversos aspectos que envolveram a denúncia e, assim entendo, é dispensável repisá-los.
Porém, destaco que um dos pontos polêmicos do presente processo foi a discussão quanto a competência, ou não, do Tribunal para adentrar nas questões ambientais, envolvendo os interesses de agentes privados.

Trago à baila, o art. 23, da Carta Magna, que estabelece:
“É competência comum da União dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios...
IV – proteger o meio ambiente e combater a poluição em qualquer uma de suas formas.

Apenas este mandado constitucional ampara a ação do Tribunal. No entanto, vou adiante e trago, ainda, de forma complementar, o Art. 70. da Constituição Estadual, o qual estabelece:
“A fiscalização contábil, financeira, orçamentária, operacional e patrimonial do Estado e das entidades da administração direta e indireta, quanto à legalidade, legitimidade, economicidade, aplicação das subvenções e renúncia de receitas, será exercida pela Assembléia Legislativa, mediante controle externo, e pelo sistema de controle interno de cada Poder.”
Como é sabido, a função precípua do Tribunal de Contas é o exercício do CONTROLE EXTERNO. As Cortes de Contas são órgãos plenamente independentes que exercem suas funções em auxilio ao Poder Legislativo e sem qualquer submissão ao órgão legislativo.

De outra banda, a Lei n° 6.938/1981, que trata sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, assim estabelece:
Art 2º - A Política Nacional do Meio Ambiente tem por objetivo a preservação, melhoria e recuperação da qualidade ambiental propícia à vida, visando assegurar, no País, condições ao desenvolvimento sócio-econômico, aos interesses da segurança nacional e à proteção da dignidade da vida humana, atendidos os seguintes princípios:
I - ação governamental na manutenção do equilíbrio ecológico, considerando o meio ambiente como um patrimônio público a ser necessariamente assegurado e protegido, tendo em vista o uso coletivo.

Nesse diapasão, a professora Di Pietro[1] assegura que está superada a tese de negar que os bens de uso comum do povo estejam em relação de propriedade com o Poder Público, afirmando que o meio ambiente “não é um patrimônio do Estado, mas um patrimônio público”.
Por fim, no âmbito federal, o Tribunal de Contas da União, especificamente no art. 71, inciso III, da Constituição, atribui a competência ao Tribunal para realizar auditorias nas unidades dos Poderes Legislativo, Judiciário e Executivo, auditorias essas que podem ter enfoque contábil, financeiro, orçamentário, operacional ou patrimonial.

Depreende-se dos autos que existe um litígio ambiental entre a Sudema e o Ibama e que não é da competência deste TCE dirimi-lo. Entendo que o Estudo de Viabilidade Ambiental ( EVA) apresenta-se frágil, uma vez que:
· não previu os efetivos impactos na mobilidade na área conturbada entre os municípios de João Pessoa e Cabedelo;
· a solução para o esgotamento sanitário está condicionada a obras a serem executadas pela Cagepa que, segundo informações colhidas, não foram iniciadas e sequer estão programadas;
· não há referências quanto à solução técnica para a macrodrenagem da área. Mas a impermeabilização de uma área de aproximadamente 10 hectares poderá causar danos ao patrimônio ambiental, caso a intervenção não seja bem conduzida.

Isto posto, e ante toda a instrução dos autos já relatada, comungo em parte com o parecer do Órgão Ministerial e voto no sentido de que este Tribunal:
a) Revogue a MEDIDA CAUTELAR, haja vista os esclarecimentos colacionados aos autos;
b) CONHEÇA da Denúncia, julgando-a improcedente;
c) DETERMINE a emissão de alertas às seguintes autoridades:
1. aos Prefeitos dos municípios de Cabedelo, Sr. Wellington Viana França, e João Pessoa, Sr. Luciano Cartaxo Pires de Sá, no tocante à necessidade de estudar e dimensionar os impactos de mobilidade urbana decorrentes do funcionamento do empreendimento, adotando interferências e providências no sentido de minorar os seus impactos negativos;
2. ao Diretor Presidente da Cagepa, para que adote providência no sentido de cumprir com seu compromisso assumido pela Concessionária, em consonância com o desenvolvimento do projeto de implantação do Shopping.

d) CIENTIFIQUE ao gestor da Sudema sobre a existência de pendências de caráter ambiental questionadas pela Procuradoria Federal Especializada – ICMBio, em parecer de 03/12/2014 (Processos 02124.000066/2014-32 e 02124.000262/2014-15), questionando aspectos inerentes a impactos ambientais não levados em consideração;

e) RECOMENDE aos órgãos gestores da política ambiental, independentemente de qualquer aspecto, que as suas exigências devem obedecer a claros entendimentos e critérios técnicos universais, que previnam e evitem o privilégio de um investimento em detrimento de outro da mesma espécie;
f) COMUNIQUE o teor desta Decisão à entidade denunciante, bem como aos demais interessados, incluindo o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade - ICMBio;
g) DETERMINE o ARQUIVAMENTO dos autos, bem como dos demais documentos apresentados pela APAM – Associação de Proteção Ambiental (DOC TC 30.558/15 e DOC TC 43.761/15).
É o voto.

Polícia desarticula esquema de receptação e furto que causou prejuízo de R$ 2 milhões à sociedade

Publicado em Paraíba
Quinta, 23 Julho 2015 13:25

 

A Polícia Civil da Paraíba, por meio do trabalho investigativo da Delegacia Especializada de Crimes contra o Patrimônio (Roubos e Furtos) de João Pessoa, desarticulou nesta quarta-feira (22) um esquema de furtos e receptação de equipamentos de estações do sistema de telefonia no Estado. A Operação Mercúrio teve como resultado a prisão em flagrante de Ricardo Alexandre de Oliveira, 36 anos, e Irlis dos Santos Silva, 35 anos, proprietários da empresa Virtuax, provedora de internet na Capital. Ainda foi apreendido material furtado, entre outros objetos encontrados na sede do estabelecimento comercial e nas residências dos presos.

De acordo com as investigações, os crimes eram praticados em território paraibano e ainda em Pernambuco e a receptação do material causava prejuízo à sociedade, pois a propagação de sinal de voz, mensagens e internet era interrompida. Os danos, segundo levantamento da delegacia especializada, são avaliados em R$ 2 milhões.

seds-pc-operacao-mercurio-desarticula-esquema-de-recepcao-e-furto-3“A operação foi iniciada pela manhã com cumprimento de mandados de busca e apreensão, expedidos pela 7ª Vara Criminal de João Pessoa com base no trabalho da polícia judiciária. O foco era apreender materiais subtraídos das antenas de rádio base do sistema de telefonia existente no Estado. Essas peças furtadas são responsáveis pela propagação de sinal de voz, mensagens e internet e, quando retiradas, havia como resultado a paralisação do serviço e prejuízo à sociedade. Durante o cumprimento dos mandados, não só equipamentos que estávamos procurando, mas também outros foram encontrados na sede da Virtuax, que fica no Centro da cidade, como também nas casas de Ricardo e Irlis, nos bairros do Geisel e José Américo”, explicou a delegada Emília Ferraz.

Em depoimento, os dois presos confessaram a receptação do material há pelo menos cinco anos. “Segundo eles, a Virtuax existe há 11 anos e há cinco funcionava utilizando esse material que era comprado ilicitamente pelos proprietários. Para se ter uma ideia, peças como IDI e IDU são compradas por R$ 15 mil pelas empresas de telefonia, enquanto Ricardo e Irlis compravam as mesmas peças por R$ 2,5 mil o par. Ou seja, tinham plena ciência do crime que estavam cometendo”, revelou.

Ricardo Alexandre de Oliveira e Irlis dos Santos Silva foram autuados em flagrante por receptação dolosa, da qual não cabe fiança. Ambos foram ouvidos, apresentados à imprensa durante uma coletiva na Central de Polícia e depois encaminhados para a unidade prisional do Róger, na Capital.

Mercúrio – O nome dado à operação policial faz referência à mitologia grega, segundo a qual Mercúrio seria o mensageiro dos deuses, responsável pelo comércio e comunicação.

Polícia desarticula quadrilha de assaltos a banco e prende sucessor de Gilson Beira Mar

Publicado em Paraíba
Quinta, 23 Julho 2015 19:17

 

A Polícia Civil da Paraíba, por meio do Grupo de Operações Especiais (GOE), realizou na quarta-feira (22) a Operação Phantom, na cidade de Santa Cruz do Capibaribe (PE). A ação resultou na prisão de José Ricardo de Souza Silva, de 29 anos, conhecido por Seu Chico ou Nogueira, que é apontado como chefe de uma quadrilha especializada em assaltos a banco em toda a região Nordeste. Seu Chico ocupava o espaço deixado pelo criminoso conhecido com Gilson Beira Mar, atualmente em um presídio federal e investigado por crimes contra caixas eletrônicos e agências bancárias.

A equipe do GOE trabalhou por dois meses na investigação da quadrilha. Antes da prisão de José Ricardo, outros integrantes já tinham sido presos no dia 15 de julho. Em Campina Grande (PB), foi preso Marcelo Belo de Souza, responsável por adulterar os veículos usados nas ações criminosas. No mesmo dia, as Polícias do Piauí e Maranhão prenderam outras pessoas do grupo, que atuavam com explosivos e executavam os assaltos às agências bancárias. Os presos foram: Josenildo do Nascimento, Leandro Silva, Gentil de Aguiar Lucena, além de outros dois conhecidos por Negão e Randerson. Com o grupo, foram apreendidas centenas de explosivos que seriam utilizados contra caixas eletrônicos, armas de fogo e munições, e um veículo que havia sido roubado em João Pessoa (PB). De posse dessas informações, o Grupo de Operações Especiais conseguiu desarticular o controle do bando e prender José Ricardo de Souza, desfazendo assim as ações de comando.

De acordo com o delegado titular do GOE, Allan Terruel, o preso articulava várias células menores que agiam criminosamente em várias cidades nordestinas. “Os nossos levantamentos apontam que a organização chefiada por Seu Chico era dividida em células. Parte do grupo ficava responsável por roubar, adulterar e guardar os veículos utilizados pela quadrilha nos assaltos, outras pessoas se encarregavam de conseguir armas e explosivos para serem usados nos ataques aos bancos e o terceiro setor ficava responsável por sitiar as cidades e atuar nas agências, causando terror na população”, disse Állan Terruel.

Ele adiantou que a função do Seu Chico era organizar os ataques a banco e arregimentar pessoas para agir no crime. As investigações indicam também que o dinheiro dos roubos era utilizado no tráfico de drogas. “O Seu Chico agia como um fantasma. Ele chefiava silenciosamente uma grande organização criminosa que era especialista em explosões de caixas eletrônicos ou em assaltos estilo ‘cangaço’, em municípios do interior, que se caracteriza quando os bandidos armados invadem a agência bancária e realizam o roubo, independente das conseqüências”, explicou.

O delegado disse ainda que José Ricardo mantinha bons esconderijos. A casa do Seu Chico em Santa Cruz do Capibaribe era monitorada por muitas câmeras, evitando a exposição aleatória à Polícia. “Ele é um criminoso que se escondia há algum tempo, era procurado pela Polícia Federal, pela 6ª Delegacia Seccional, com sede em Alhandra (PB) e ainda por nós do GOE. Já tinha sido preso aos 19 anos por porte ilegal de arma, em Sapé, e ainda existem mandados de prisão em aberto contra ele por roubo e homicídio. Com a prisão do Seu Chico e de mais seis pessoas, acreditamos que desarticulamos um bando perigoso e que era responsável pelas explosões a banco aqui na Paraíba e em outros Estados. Recentemente eles agiram nas cidades de Taperoá, Boqueirão e ainda em Poções, em Pernambuco”, informou o titular do GOE.

Além dos crimes de roubo de veículo e das explosões, o suspeito também trabalharia em conjunto com outros grupos criminosos. “Apesar de chefiar um bando, José Ricardo também colaborava com os outros criminosos, principalmente emprestando material como armas e veículos”, revelou a autoridade policial.

José Ricardo vai responder pelos crimes de roubo, homicídio, receptação de veículos roubados, organização criminosa e lavagem de dinheiro. Ele ainda foi autuado em flagrante por falsidade ideológica. O suspeito será encaminhado para uma unidade prisional, onde deverá aguardar a decisão da Justiça.

NOME DA OPERAÇÃO – ‘Phantom’ vem do inglês e significa fantasma. O nome da Operação faz referência à dificuldade de se identificar o chefe da quadrilha. “José Ricardo atuava de dentro da sua casa e não se envolvia com os crimes, era o comandante das ações. Ele sempre usava documentos falsos e colocava em nome de laranjas os bens lucrados com o dinheiro dos assaltos e do tráfico de drogas, isso dificultava saber quem de fato era a pessoa por trás de tudo”, esclareceu Terruel.

Governo realiza sorteio dos beneficiários dos Residenciais Raimundo Suassuna e Acácio Figueiredo

Publicado em Paraíba
Sexta, 24 Julho 2015 14:04

 

O Governo do Estado, por meio da Companhia Estadual de Habitação Popular da Paraíba (Cehap), realizou nessa quinta-feira (23), no ginásio da Associação Atlética Banco do Brasil (AABB), o sorteio das quadras e lotes dos Residenciais Raimundo Suassuna e Acácio Figueiredo, em Campina Grande. Os conjuntos fazem parte do Programa Minha Casa Minha Vida e possuem ao todo 1.948 casas.

A escolha dos contemplados se deu por meio de um rigoroso processo de seleção junto ao Banco do Brasil, instituição financeira detentora dos recursos da obra. Esse trabalho também foi dividido em etapas: primeiro a Cehap realizou visitas aos inscritos para comprovação das informações presentes no cadastro da Companhia; em seguida, a relação elaborada por meio das visitas foi encaminhada ao banco, que, por sua vez, realizou uma ampla análise de toda a documentação necessária, entre elas, a verificação de encaixe nos critérios de seleção.

Para facilitar o trabalho e agilizar o processo, os conjuntos foram divididos em cinco módulos. Primeiramente foram sorteadas as casas adaptadas destinadas aos portadores de necessidades especiais (PNE) e aos idosos. Em seguida, foi a vez de sortear as demais casas, sempre seguindo a lógica de módulos, quadras e lotes. A presidente da Cehap, Emília Correia Lima, destacou a lisura de todo o sistema adotado. “A seleção dessas famílias foi feita de maneira muito séria, todas foram visitadas e estão adequadas aos critérios”.

A partir da próxima semana serão feitas as vistorias nos imóveis. Os Residenciais Raimundo Suassuna e Acácio Figueiredo representam um investimento de R$ 94,6 milhões, sendo mais de R$ 6 milhões de contrapartida do Governo do Estado. Com a entrega prevista para o dia 15 de agosto, as casas devem beneficiar cerca de 8 mil pessoas que não possuem moradia.

Compartilhe nas Redes Sociais!

Temos 234 visitantes e Nenhum membro online

Telefones Úteis

Energisa - (83) 2106-7000
Ultragás - (83) 3292-2217
Audicon - (83) 3246-0599
Cagepa - 115
GVT - 10325
NET - 10621
SKY - 10611
Tely - (83) 3049-4229
Polícia - 190
Bombeiros - 193
SAMU - 192
(83) 3216-2500
Dele.da Mulher
(83) 3218-5316

Entre em Contato

 

Av. Senador Ruy Carneiro, 636 sl 201

Manaíra, João Pessoa, Paraíba, Brasil

Tel: (83) 3021-8885 - Cel: (83) 98725-1693

Email: redacao@24horaspb.com

Website: http://www.24horaspb.com

JoomShaper